Topo

Esporte


"Sou jogador de futebol, não estrela", diz Mané sobre evitar redes sociais

Na última temporada, Mané atuou em 50 partidas e marcou 26 gols - Peter Byrne/PA Images via Getty Images
Na última temporada, Mané atuou em 50 partidas e marcou 26 gols Imagem: Peter Byrne/PA Images via Getty Images

Do UOL, em São Paulo (SP)

25/06/2019 13h17

O atacante do Liverpool Sadio Mané afirmou que evita usar as redes sociais e que deve ser o único jogador de futebol profissional que não sabe jogar videogame. Em entrevista à revista France Football, o senegalês também falou sobre as dificuldades de sua infância e o que a seleção de Senegal pode almejar na Copa Africana de Nações deste ano.

"Eu fico longe, evito redes sociais e gosto de manter os pés no chão. Eu não gosto de aparecer. Eu sou uma pessoa discreta que queria ser jogador de futebol, não uma estrela. Eu não trapaceio. E o mais importante, gosto de todos e não presto muita atenção ao que está acontecendo ao meu redor", afirmou Mané.

"Talvez eu seja o único jogador de futebol profissional do mundo que não sabe jogar videogame. Realmente. Eu nunca tentei e isso não me interessa em nada. No clube ou na seleção, estou cercado por jogadores que passam o tempo jogando. Mas isso não me fascina. Nem sei usar o controle. Prefiro jogar Uno", completou.

Mané revelou que aos 16 anos fugiu de sua cidade natal para Dacar, capital e maior cidade de Senegal. Na época, ele queria se tornar um jogador de futebol e escondeu da própria família que estava indo embora.

"Eu preparei tudo sabendo que eu não tinha dinheiro. Me escondi na frente da minha casa na grama alta e minha mochila com minhas coisas também. Só avisei o meu melhor amigo e fui embora", disse.

Mané está servindo a seleção da Senegal nesta Copa Africana de Nações. A estreia foi no último domingo (23), contra a Tanzânia, com vitória senegalesa por 2 a 0. O atacante do Liverpool afirmou que seu país está entre os favoritos e que seria 'magnífico' poder ganhar a competição.

"Cabe a nós algo grandioso. Claro que estamos entre os favoritos, não podemos esconder isso. Ganhar pelo seu país, que nunca ganhou a Copa das Nações deve ser magnífico. O retorno para Dacar seria extraordinário. Seria o meu sonho mais louco", concluiu.

Mais Esporte