Topo

Esporte


Da "chuva de sapato" a "olé", Qatar vive dia de xodó da torcida no Maracanã

Jogadores do Qatar comemoram gol contra o Paraguai - REUTERS/Pilar Olivares
Jogadores do Qatar comemoram gol contra o Paraguai Imagem: REUTERS/Pilar Olivares

Leo Burlá e Rodrigo Mattos

Do UOL, no Rio de Janeiro

17/06/2019 04h00

Seleção convidada para disputar a Copa América, o Qatar experimentou momentos de glória longe de casa. Adotado pela maioria da torcida que acompanhou o empate por 2 a 2 contra o Paraguai, no Maracanã, a seleção asiática recebeu incentivo, viu a torcida cantar músicas adaptadas em alusão ao país e provocou até gritos de "olé".

O ambiente favorável nem sempre costuma acompanhar os atuais campeões da Copa da Ásia, que foram alvos de uma chuva de sapatos e de outros objetos em uma partida contra os Emirados Árabes, pela semifinal da competição asiática.

A tensão em relação ao time vencedor foi motivada por questões políticas. Qatar e Emirados Árabes romperam relações diplomáticas em 2017. Emirados, Arábia Saudita, Egito, Iêmen e Bahrein acusam os qatarianos de apoiarem grupos terroristas e o Irã, o que fez com que o clima esquentasse no jogo.

Entre os árabes, o ato de atirar sapato em alguém é considerado insulto gravíssimo e chamou a atenção no ocidente em 2008, quando um jornalista iraquiano arremessou um calçado na direção do então presidente dos Estados Unidos George W. Bush, que visitava o Iraque em meio à guerra.

O técnico Félix Sánchéz comparou as situações e celebrou o clima mais ameno enfrentado no Brasil:

"Foi um ambiente com muito fair play entre as torcidas, assim como tem de haver em uma partida de futebol. Jogamos em um estádio histórico, com ambiente fabuloso para prática do jogo. Espero que todos tenham desfrutado com quatro gols, foi uma partida divertida".

Feliz após o apoio e o empate, o português naturalizado Pedro Miguel falou da experiência de atuar em um dos palcos mais famosos do mundo. Ele destacou a experiência vivida pela sua seleção.

"Ficamos muito felizes pela torcida ter apoiado nossa equipe o tempo todo. Estão todos felizes demais por termos jogado aqui", disse o jogador.

Após a passagem pelo Rio, o Qatar segue para São Paulo, local da partida contra a Colômbia, quarta-feira, 18h30, no Morumbi.

Esporte