Topo

Seleção Brasileira


Najila vê traição de ex-advogado que não queria exame e cogita processo

Najila Trindade em entrevista à Record - Reprodução/TV Record
Najila Trindade em entrevista à Record Imagem: Reprodução/TV Record

Felipe Pereira

Do UOL, em São Paulo

07/06/2019 18h28

A modelo Najila Trindade, mulher que registrou boletim de ocorrência contra Neymar por estupro, entende que a atuação do primeiro advogado contratado, José Edgard Bueno, trouxe prejuízos para ela. O ex-representante afirmou ao Jornal Nacional que ela não teria relatado crime sexual. Outra reclamação é que ela não teria recebido a orientação correta para produção de provas do suposto abuso, declarou o atual advogado, Danilo Garcia de Andrade.

"Os advogados anteriores orientaram a não fazer o exame. Ela tem mensagens provando. Diziam que por se tratar de uma pessoa importante seria preciso a ordem de um juiz", disse o representante da modelo.

A própria Najila abordou o assunto em entrevista ao SBT. Confirmou as palavras do atual advogado e usou um termo bastante forte para qualificar José Edgard Bueno. "Eu só poderia provar o estupro com o laudo. Mas os advogados falaram que eu não podia fazer o laudo. Por ele ser quem ele é. Me senti traída por eles. Eu confiei."

Uma conversa por WhatsApp divulgada pela Record na noite dessa sexta-feira, a pedido da vítima, corrobora essa informação. O diálogo, entre Najila e Bueno, mostra que os dois se conheciam anteriormente. Ela, por exemplo, diz que teria "vergonha" de admitir para ele o que aconteceu, dando a entender um relacionamento mais íntimo do que existiria entre cliente e advogado. Já ele usa a palavra "gata" no início de algumas frases. Nos trechos mostrados, Bueno diz que ela não deveria se submeter a exames de corpo de delito:

Bueno: "Calma, Vamos depois falar pra eu entender e ai montar uma estratégia correra [sic]"

Najila: "Tá bom. Tenho tudo aqui. Conversas".

Advogado: "Relaxa um pouco aí depois conversamos com calma".

Najila: "Minha foto machucada. Vídeo com ele (ele nem sabe desse)".

Advogado: "Faz o seguinte Não mostre isso pra NINGUEM. Nem pra sua melhor amiga, tá?"

Najila: "Mas você acha que tenho que fazer exame de corpo de delito ainda hoje? Ninguém tem. Eu achei que nem ia chegar viva no Brasil".

Advogado: "Não".

Najila: "To sem dormir. Pânico. Eu ia denunciar ele lá na França mesmo. Mas fiquei com medo. Sozinha".

Advogado: "Se você fizer exame eles vão perguntar quem fez. E não é a hora".

Conversas do dia seguinte mostram que Najila volta a perguntar se não deve ir ao médico: "Tem certeza que não preciso fazer exame de corpo de delito?" A resposta é um áudio de 41 segundos. A garota responde: "Ta bom".

Suamy Beydoun/AGIF
Imagem: Suamy Beydoun/AGIF

Ex-advogado pode ser processado

O atual advogado afirmou que a Najila cogita a possibilidade de procurar a Justiça. Garcia de Andrade mencionou hipótese de abertura de processo criminal, mas não citou qual artigo. Ele também falou em ação cível e representação na OAB (Ordem dos Advogados do Brasil). "Há o direito de indenização e no Brasil isso é feito por reparação financeira. Mas nem entramos nesse tema ainda".

Garcia Andrade disse que o assunto não foi discutido com profundidade porque estas medidas dependem de comprovar a tese de estupro por parte do atleta. Mas ele se manifestou sobre outra atuação do ex-advogado da modelo que gerou controversa. José Edgard Bueno foi acusado pelo pai de Neymar de marcar um encontro e pedir dinheiro em troca de manter o caso em segredo.

"Minha cliente teve conhecimento disso (suposta tentativa de extorsão), mas nega que tenha sido dela o interesse de extorsão".

O advogado José Edgard Bueno e seus sócios se manifestaram sobre a situação. Justificaram que deixaram o caso porque a orientação que passaram a modelo foi de que estava configurado o crime de agressão e que tentariam um acordo sem exposição. O escritório explicou que deixou o caso quando o boletim de ocorrência foi registrado porque era contra ao encaminhamento que entendiam ser o correto.

Sobre a acusação de Neymar Pai, José Edgard Bueno afirmou que foi atraído para uma armadilha para criar um álibi. Ele falou que foi chamado para o encontro, mas acabou desmentido em situação que culminou com o afastamento do jornalista Mauro Naves pela Rede Globo da cobertura esportiva do Grupo Globo.

Mais Seleção Brasileira