Topo

Futebol


Ex-advogado de Najila era sócio de restaurante parceiro de Instituto Neymar

Jose Edgard Bueno, ex-advogado da modelo Najila Trindade, deixou de ser sócio do Paris 6 no fim de 2018 - Suamy Beydoun/AGIF
Jose Edgard Bueno, ex-advogado da modelo Najila Trindade, deixou de ser sócio do Paris 6 no fim de 2018 Imagem: Suamy Beydoun/AGIF

Emanuel Colombari

Do UOL, em São Paulo

06/06/2019 14h08

José Edgard da Cunha Bueno Filho, o advogado que inicialmente representaria Najila Trindade Mendes de Souza na acusação de estupro e agressão contra o atacante Neymar, era um sócio dos restaurantes Paris 6, parceiro do Instituto Neymar Júnior em ações diversas.

Em fevereiro de 2018, por exemplo, o restaurante criou uma sobremesa, o Petit Gateau de Ovomaltine, a pedido do próprio Neymar. A sobremesa, disponível ainda hoje no cardápio da casa, leva o nome do atacante e reverte parte dos valores líquidos de sua venda ao instituto.

Em 2018, Paris 6 criou uma sobremesa levando o nome de Neymar; no mesmo ano, José Edgard deixou a sociedade - Reprodução
Em 2018, Paris 6 criou uma sobremesa levando o nome de Neymar; no mesmo ano, José Edgard deixou a sociedade
Imagem: Reprodução
O lançamento da iguaria foi noticiado pelo site do instituto na ocasião.

"A pedido de Neymar Jr. o restaurante criou o Petit Gateau de Ovomaltine que leva o nome do atacante e tem 50% do valor de venda líquida destinado para o Instituto Projeto Neymar Jr.", publicou o veículo. "Dono de um paladar aguçado e admirador da comida brasileira, Neymar Jr. é cliente fiel do Paris 6 e amigo do proprietário Isaac Azar", acrescentou.

A parceria do Paris 6 com Neymar foi confirmada ao UOL Esporte pela própria assessoria de comunicação do restaurante. "Além de apoiarmos as ações do Instituto - concerto de Natal, palestras, cursos profissionalizantes em culinária e diversos eventos que ocorrem no endereço e fora da entidade -, temos uma ação em todos os Paris 6 do Brasil, onde cada Petit Gateau à 'Neymar Jr.' vendido, 50% do valor arrecadado é doado ao Instituto. Só em 2018 foram doados R$ 97 mil", detalha a casa em nota enviada à reportagem.

Fim da sociedade

Em 2018, a rede de restaurantes tinha três sócios principais: Isaac Azar, Michel Reis Viganô e José Edgard da Cunha Bueno Filho. Em setembro de 2017, Viganô decidiu sair do negócio, vendendo sua participação aos outros dois. Em contato com o UOL Esporte, o Paris 6 informou que José Edgard integrou a sociedade entre 2013 e novembro de 2018, quando também negociou sua parte "por motivos pessoais".

"Isaac comprou as cotas de José Edgard e, desde então, não se falaram mais", explicou a assessoria de imprensa do Paris 6. E apesar de a ação com o Instituto Neymar Jr. ser da época em que José Edgard era sócio do restaurante, o estabelecimento informa que o advogado não mantinha contato com o jogador.

"José Edgard trabalhava na parte administrativa do Paris 6, em outro endereço do restaurante, e não mantinha contato com os clientes e amigos do Isaac que frequentam a casa", explicou.

A casa ainda desmentiu a informação publicada em outubro de 2013 pelo jornal Diário de S. Paulo, que informava que Neymar poderia se tornar sócio de uma filial do Paris 6 em Barcelona (Espanha). Na época, o atacante atuava no Barcelona. "Essa informação é totalmente equivocada. Isaac e Neymar são amigos. Isaac sempre apoiou Neymar, nos bons e nos maus momentos, como segue apoiando hoje"

A assessoria do Instituto Neymar foi procurada pela reportagem e disse que não se pronunciaria sobre o assunto.

Futebol