PUBLICIDADE
Topo

Futebol


Mulher que acusou Neymar de estupro foi convocada para segundo depoimento

Danilo Lavieri, Felipe Pereira, Marcel Rizzo, Pedro Lopes e Ricardo Perrone

Do UOL, em São Paulo

04/06/2019 13h45

A mulher que registrou boletim de ocorrência por estupro contra Neymar foi convocada para um segundo depoimento. A data em que ela deve comparecer à Delegacia e o motivo não foram revelados. A Secretaria de Segurança Pública e a Polícia Civil informam apenas que a investigação corre em sigilo de Justiça e os detalhes da apuração não serão divulgados.

A informação sobre um segundo depoimento foi veiculada pelo Jornal da Globo e confirmada pelo UOL Esporte. O motivo que levou a mulher a precisar ser ouvida pela segunda vez não foi divulgado. Ela compareceu à 6ª Delegacia de Defesa da Mulher na última sexta-feira (31) para registrar o boletim de ocorrência.

A Polícia Civil também vai ouvir Neymar. Mas em investigações é comum que a pessoa sob suspeita seja convocada a prestar depoimento ao final da apuração. Desta maneira, responde de uma única vez todas as questões que pesarem contra ela.

Especialistas ouvidos pelo UOL Esporte informaram que o celular do atacante e da mulher que acusa o atleta podem ser apreendidos e periciados. O laudo que mostra lesões também pode servir no processo como prova pericial indireta.

O caso

O UOL Esporte informou na tarde do último sábado que uma mulher registrou Boletim de Ocorrência acusando o atacante Neymar, do PSG e da seleção brasileira, de estupro. O documento foi averbado no dia anterior, na 6ª Delegacia de Defesa da Mulher, em Santo Amaro, na capital paulista, referente a um fato que teria ocorrido no dia 15 de maio, em Paris. O inquérito policial segue em sigilo e o nome da mulher também é mantido em segredo.

A acusação da mulher é que Neymar teria chegado embriagado ao hotel no dia 15 de maio, por volta de 20h. Após trocas de carícias, ele teria ficado agressivo e, mediante violência, praticado relação sexual sem o consentimento da vítima. Ela ainda disse que voltou ao Brasil no dia 17 de maio, que estava abalada emocionalmente e com medo de registrar a ocorrência.

Antes de Neymar se manifestar sobre o caso foi seu pai quem falou, em entrevista à TV Bandeirantes. Também empresário do atacante, Neymar disse que eles iriam "expor a situação para que a opinião pública pudesse enxergar" a partir de conversas guardadas pelo jogador. O pai de Neymar disse que o filho caiu em uma armadilha e acusou a mulher de tentativa de extorsão.

A única manifestação pública de Neymar até agora foi na madrugada de sábado para domingo. Ele publicou um vídeo em sua conta pessoal do Instagram, negou ter cometido estupro e expôs a suposta conversa que teve com a mulher que o denunciou para dar sua versão sobre o caso. A ideia do post era tentar conquistar a opinião pública.

A assessoria de imprensa de Neymar ainda divulgou um comunicado dizendo que o estafe do jogador foi vítima de tentativa de extorsão praticada por um advogado da cidade de São Paulo que, segundo a sua versão, representava os interesses da suposta vítima.

A Polícia Civil do Rio de Janeiro irá investigar Neymar por vazamento de fotos íntimas da mulher que o acusa de estupro. O caso será apurado pela Delegacia de Repressão de Crimes de Informática junto com o inquérito que investiga o estupro. O crime de vazamento de fotos íntimas é previsto no artigo 218-C do Código Penal Brasileiro e, caso haja condenação, e prevê pena de um a cinco anos de reclusão.

O vídeo em que Neymar se defende das acusações e expõe as supostas conversas com a mulher foi removido da internet pelo próprio Instagram na madrugada de ontem. A rede social declarou que "o conteúdo foi removido por violar os padrões da comunidade". As imagens estavam na ferramenta IGTV. O pai de Neymar, aliás, disse à TV Bandeirantes que preferia que o filho fosse acusado de um crime de internet do que um estupro.

"Não tínhamos escolha. Eu prefiro um crime de internet a de estupro. Foi o Instagram que tirou do ar por saber que vai ter uma discussão em cima disso. Pelas regras do Instagram estava normal. Ele preservou a imagem, o nome. Ele precisava se defender rapidamente. É melhor ser verdadeiro e mostrar o que aconteceu. Sabíamos da chantagem, mas não da coragem de fazer um B.O. em cima de uma situação dessas."

A Polícia está investigando desde o momento da instauração do Boletim de Ocorrência. Inclusive, policiais foram à concentração da seleção brasileira no último sábado para buscar informações sobre a chegada de Neymar. Porém o jogador estava de folga e não foi encontrado. Ele será ouvido em breve.

Futebol