Topo

Caso Daniel


Vídeos mostram Daniel e família Brittes em festa que antecedeu assassinato

Karla Torralba

Do UOL, em São Paulo

22/04/2019 04h00

As imagens de câmeras de segurança da boate em Curitiba, onde foi comemorado o aniversário de Allana Brittes antes do assassinato do jogador Daniel foram entregues à Justiça. Os trechos dos vídeos, aos quais o UOL teve acesso, mostram Daniel e a família Brittes dentro e fora da casa noturna.

Os vídeos são importantes porque mostram que Daniel teve contato com a família Brittes dentro da casa noturna e podem esclarecer informações conflitantes em depoimentos de testemunhas e réus à polícia durante o inquérito. Um exemplo disso é a forma como Daniel deixa o local, em um carro junto com convidados dos Brittes em direção à casa da família. Outro ponto é uma confusão envolvendo Daniel relatada em depoimento na audiência de instrução pelo chefe de segurança da boate - o vídeo não deixa claro se houve briga e mostra apenas Daniel sendo empurrado, sem reagir.

As imagens

Dentro da balada, Daniel pode ser visto sentado no camarote reservado para a festa de aniversário de Allana, que convidou o jogador para a celebração. O pai da garota, Edison Brittes Júnior, que confessou ter matado o atleta, é visto conversando com a vítima em um momento, por volta das 5h20 de 27 de outubro (é possível ver rapidamente no final do vídeo acima).

Outro vídeo, entre 5h42 e 5h45, do lado de fora, Daniel é visto conversando com algumas pessoas. É possível ver uma garota e um garoto. Em determinado momento, o garoto empurra o jogador, que não reage e parece tranquilo. Um bombeiro civil que estava por ali fala algo para o grupo, que é dispersado. Daniel continua no local e a garota também, sem muito contato até a chegada de uma amiga do jogador. Eles interagem e depois deixam o lugar.

As imagens ainda mostram a família Brittes (Cristiana, Edison e Allana) e David Vollero no Veloster preto saindo do estacionamento do local por volta de 5h40. O carro é o mesmo usado no crime. Também é possível ver Daniel deixando a Shed por volta de 6h. Segundo depoimentos, o jogador foi de Uber com amigos de Allana para a casa dos Brittes.

As imagens da Shed ainda não tinham sido entregues à Justiça. A juíza do caso Luciani Regina Martins de Paula pediu que os vídeos fossem entregues pela boate, o que aconteceu semana passada. Tudo foi anexado aos autos. Há cortes nas imagens entregues.

A defesa dos Brittes não se manifestou para a reportagem sobre os vídeos. O assistente de acusação e advogado da família de Daniel Nilton Ribeiro enviou nota, na qual afirma: "a assistência de acusação do 'Caso Daniel', informa que o vídeo apresentado pela casa noturna Shed confirma os depoimentos prestados pelas testemunhas de acusação, e que está confiante na condenação dos acusados".

Daniel foi morto em 27 de outubro de 2018 em um "after party" na casa da família Brittes. O jogador foi espancado na residência e levado de carro à Colônia Mergulhão, onde o assassinato aconteceu. Edison Brittes Júnior, Cristiana, mulher de Edison; Allana; David Vollero; Eduardo Henrique da Silva e Ygor King. Evellyn Perusso, amiga de Allana, responde em liberdade por falso testemunho.

Daniel conversa com Edison Brittes Júnior

Um trecho do vídeo (acima do texto) mostra Cristiana Brittes, por volta de 3h10, na parte de cima da balada conversando com algumas pessoas.

Por volta de 5h15, todos estão no camarote reservado para o aniversário de Allana Brittes. Cristiana é vista sentada com amigas; Edison Brittes Júnior conversa com David Vollero e Daniel pode ser notado sentado em outro local do camarote. Logo depois, a imagem mostra Daniel, um amigo e Edison Brittes conversando. O vídeo é cortado e por isso não é possível saber quanto tempo dura o diálogo.

Do lado de fora, Daniel conversa e é empurrado em um momento

A imagem gravada por volta de 5h40 mostra Daniel do lado de fora da Shed conversando com um garoto e uma garota. O menino encara e empurra o jogador em determinado momento. Daniel não esboça reação e parece continuar tranquilo. Um bombeiro civil intervém de forma calma e o garoto sai. A menina e Daniel continuam por ali. Ela encara Daniel, que fala algo e mexe no celular.

Em seguida chegam amigos do jogador. Uma amiga interage com a garota e faz sinal de coração. Daniel e a amiga continuam conversando de um lado. A garota fala com uma amiga do outro.

Em depoimento, o chefe de segurança da Shed Marcelo Guerra afirma que Daniel "importunou uma garota do lado de fora da balada e quase houve briga". Não é possível ver se houve importunação nas imagens.

Daniel no caixa da balada e confusão do lado do jogador

A mesma menina que aparece conversando e encarando Daniel do lado de fora da Shed também aparece momentos antes próxima ao jogador, no caixa do estabelecimento. Ali, por volta de 5h30, eles não se falam. A garota, no entanto, se envolve em uma discussão com outro menino e o segurança intervém. Daniel fica do lado vendo tudo, sozinho e sem se envolver.

Por volta de 5h35 ele deixa o caixa e conversa rapidamente com outra menina. No momento, a câmera também mostra Allana, Edison e Cristiana Brittes passando.

Família Brittes e Daniel deixam a balada rumo ao "after party"

A família Brittes deixa a Shed de Veloster preto por volta de 5h40. Edison Brittes dirige, Cristiana está no banco do carona. David Vollero, Allana e outras duas pessoas vão no banco de trás.

Mais tarde, por volta de 6h, Daniel vai até um carro branco, que, de acordo com depoimentos, seria um Uber. Evellyn Perusso, que havia conversado com o jogador também do lado de fora da balada, sai logo a frente dele. Daniel conversa com outros ocupantes do veículo e entra. Os outros ainda conversam mais um pouco antes de todos deixarem o local.

Evellyn, amiga de Allana, ficou com o jogador na balada e é ré por falso testemunho. À polícia, ela chegou a dizer que Daniel não foi convidado para a casa dos Brittes. O advogado de Evellyn, Luiz Roberto Zagonel, não quis comentar a conversa do jogador com sua cliente e a saída da Shed.