Topo

Como Felipão usou os reforços de R$ 60 milhões do Palmeiras até agora

Zé Rafael foi uma das seis contratações do Palmeiras para 2019 -
Zé Rafael foi uma das seis contratações do Palmeiras para 2019

Danilo Lavieri e Leandro Miranda

Do UOL, em São Paulo

04/04/2019 12h00

Apontado frequentemente como um dos melhores elencos do Brasil, o Palmeiras apostou em seis contratações em 2019 que, somadas, chegam a um custo na casa dos R$ 60 milhões. Até aqui, porém, o técnico Luiz Felipe Scolari tem aproveitado pouco os recém-chegados e dado prioridade aos atletas que foram a base do título brasileiro do ano passado. Com exceção de Ricardo Goulart, nenhuma novidade conseguiu ainda se firmar.

A pouca utilização de alguns nomes como Zé Rafael e Matheus Fernandes tem gerado questionamentos entre a torcida, enquanto os pontas Carlos Eduardo e Felipe Pires, que receberam mais oportunidades, não caíram nas graças dos alviverdes. Felipão não costuma entrar em detalhes sobre suas escolhas e já chegou a dizer que quem decide é ele, não o torcedor. Fato é que o treinador tem um leque de opções mais vasto que a maioria dos clubes brasileiros para decidir.

Confira como cada reforço foi usado por Felipão:

Arthur Cabral (atacante, 20 anos)

Thiago Calil/AGIF
Imagem: Thiago Calil/AGIF

O centroavante foi contratado do Ceará por R$ 5,5 milhões e chegou com problemas físicos no início do ano. Após um período de reforço muscular e correção de um problema no púbis, fez sua aguardada estreia no jogo de ida das quartas de final do Paulista contra o Novorizontino, quando fez o gol alviverde no empate por 1 a 1. Entrou também no jogo de volta, mas não recebeu outras chances. Soma 68 minutos em campo e não foi titular em nenhum jogo, apesar da má fase de Borja, atualmente contestado por grande parte dos torcedores.

Carlos Eduardo (atacante, 22 anos)

Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação
Imagem: Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação

Pedido especial de Felipão, que queria um jogador de velocidade para a ponta, Carlos Eduardo foi titular em quatro jogos, mas acabou substituído em todos eles. Também saiu do banco em outras quatro partidas, somando 826 minutos no total. O preço de quase R$ 25 milhões que o Palmeiras pagou para tirá-lo do Pyramids, do Egito, tem pesado nas cobranças do torcedor, que ainda não se convenceu. Fez um golaço contra o São Paulo na primeira fase do Paulista, mas acabou retirado da lista de inscritos do estadual após machucar o tornozelo.

Felipe Pires (atacante, 23 anos)

Marcello Zambrana/AGIF
Imagem: Marcello Zambrana/AGIF

Outra opção de jogador rápido para a ponta, foi o negócio mais barato do Palmeiras em 2019, chegando de empréstimo do Hoffenheim, da Alemanha. Ganhou espaço com Felipão no começo da temporada e foi titular seis vezes, tendo sido substituído em três desses jogos. No total, são 11 partidas e 694 minutos em campo, com um gol marcado - foi na vitória por 1 a 0 sobre o Oeste, no Campeonato Paulista. Tem até o final do ano para convencer o Verdão de que merece ser comprado em definitivo.

Matheus Fernandes (volante, 20 anos)

Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação
Imagem: Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação

Volante que pode atuar como primeiro ou segundo homem de meio-campo, chegou do Botafogo como grande aposta da diretoria, que pagou R$ 16 milhões por 75% dos seus direitos econômicos. Apesar disso, não foi inscrito no Campeonato Paulista, fato que fez até Felipão lamentar publicamente o limite de 26 atletas imposto pela federação. Entrou na lista da Libertadores, mas até aqui não fez um jogo sequer com a camisa alviverde. Felipão tem preferido relacionar Jean para as partidas.

Ricardo Goulart (meia, 27 anos)

Ale Cabral/Agif
Imagem: Ale Cabral/Agif

De longe, o reforço que deu mais resposta até aqui. Mesmo tendo se recuperado recentemente de cirurgia no joelho, Goulart já é o artilheiro do Palmeiras na temporada, com quatro gols (ao lado de Gustavo Scarpa) e o líder em assistências, com três passes para gol (ao lado de Dudu). Foi titular sete vezes e saiu do banco outras duas, tendo jogado 90 minutos em apenas duas oportunidades. Mas já foi suficiente para cativar a torcida e virar peça fundamental do ataque de Felipão. Emprestado pelo Guangzhou Evergrande até o fim do ano.

Zé Rafael (meia, 25 anos)

 Marcello Zambrana/AGIF
Imagem: Marcello Zambrana/AGIF

O meia se notabilizou no Bahia pela versatilidade, podendo atuar tanto centralizado quanto pelos dois lados do ataque, mas Felipão tem afirmado que o vê apenas como reserva de Dudu, pela ponta esquerda. Sendo assim, ele tem jogado pouco: foram apenas três partidas como titular, sendo substituído em todas. Em 222 minutos em campo, nenhum gol marcado. É um dos nomes mais cobrados pela torcida para ter mais chances, fato que já chegou a irritar Felipão em entrevistas.

Palmeiras