PUBLICIDADE
Topo

Santos

Mengálvio lembra conexão única e revela gênio difícil de Coutinho em campo

Dorval e Mengálvio foram os primeiros a chegar no velório de Coutinho - UOL
Dorval e Mengálvio foram os primeiros a chegar no velório de Coutinho Imagem: UOL

Eder Traskini

Colaboração para o UOL, em Santos

12/03/2019 03h56

O ex-jogador Mengálvio, um dos primeiros a chegar ao velório de Coutinho no Salão de Mármore da Vila Belmiro, lembrou com saudade dos tempos em que foi companheiro do lendário centroavante no Santos da década de 1960. O ídolo santista faleceu na noite de ontem.

O meia fez parte do quinteto ofensivo mais famoso do mundo: Mengálvio, Dorval, Coutinho, Pelé e Pepe. O ídolo revelou em entrevista ao UOL Esporte que Coutinho odiava perder e se transformava dentro de campo.

"Tinha jogo que realmente era complicado. Ele era um jogador que não queria perder de jeito nenhum. Em alguns jogos ele saiu fora de si e criou problemas com a arbitragem. Ele tinha um gênio que se transformava de uma tal maneira... E gozado que tínhamos que seguir ele, ou a gente apanhava dele também", lembrou esboçando um sorriso.

Para Mengálvio, a conexão entre o quinteto era única. Com exceção de Pelé, por tudo que o Rei representa, os outros quatro se encontravam com frequência e eram sempre vistos juntos em diversos locais de Santos, ao lado de figuras contemporâneas a eles como o volante Clodoaldo e o ponta Edu.

"A lembrança vai ser de saudade. De grandes momentos que tivemos juntos. Infelizmente é uma grande perda, tratava-se de um grande jogador, uma grande pessoa. Tinha uma grande afinidade com ele, fico bastante triste com esse acontecimento. Conexão era excelente, sempre nos encontrávamos e tínhamos grande amizade. Não existe um time no mundo como foi o Santos também nesse parte. Fico analisando a maioria dos outros, grandes jogadores em grande equipes, mas nunca tiveram convivência como temos. Paramos há 30 anos e temos a convivência até hoje, nenhuma equipe no mundo aconteceu isso", disse.

O corpo de Coutinho está sendo velado no Salão de Mármore da Vila Belmiro desde a 1h da manhã de hoje. O enterro está marcado para esta tarde, às 18h, no cemitério Memorial.

Santos