PUBLICIDADE
Topo

Santos

Sampaoli confia em Cueva e se derrete por Pituca: "Joga em qualquer lugar"

Jorge Sampaoli comanda o Santos contra o América-RN - Marcello Zambrana/AGIF
Jorge Sampaoli comanda o Santos contra o América-RN Imagem: Marcello Zambrana/AGIF

Eder Traskini

Colaboração para o UOL, em Santos

08/03/2019 00h20

O Santos bateu o América-RN por 4 a 0 na noite de ontem, no Pacaembu, e avançou para a terceira fase da Copa do Brasil. Sem Cueva, punido pelo atraso na volta do Carnaval, o técnico Jorge Sampaoli precisou responder a uma bateria de perguntas sobre o episódio do peruano.

O argentino foi enfático ao dizer que optou por não relacionar o jogador justamente por causa do atraso e dos treinos perdidos, mas reiterou sua confiança no futebol do meia.

"A ausência do Cueva se deve ao fato dele atrasar aos treinos, ao faltar nos treinos, fica difícil de estar na lista de relacionados. Ele queria estar, mas optamos por não. Pensamos que para o futuro o Cueva vai ser muito importante. Eu acredito nele, ele vale muito para o nosso grupo", disse em entrevista coletiva.

No entanto, Sampaoli admitiu que não conhece o jogador a fundo e deu o aval para sua contratação pelo que ele apresentou dentro de campo, inclusive na seleção peruana.

"Quando nós demos o ok para que o Cueva viesse para o Santos, valorizamos sua capacidade como jogador de futebol na seleção. Eu o enfrentei. Pessoalmente, não o conheço muito bem. É um jogador valioso para nós, por isso está aqui. Não posso julgar por eventos anteriores que eu não conheço. O Cueva disse que teve um problema familiar e que não conseguiria pegar o voo. Ele tem de ser um exemplo para todos os jovens", disse o treinador.

Quem ganhou elogios foi outro jogador muito menos badalado: o meia Diego Pituca. Escalado como lateral-esquerdo durante boa parte do jogo, o atleta participou do primeiro gol do Santos e deu segurança pelo setor. Sampaoli gostou muito da versatilidade demonstrada.

"Pituca de lateral interno era por causa dos extremos por dentro. Precisávamos de laterais por dentro. Queríamos extremos nas costas deles. Diego é tão generoso e bom jogador que joga em qualquer lugar. Foi bem contra atacantes muito rápidos. Foi muito bem em posição desconhecida, mas por meio dos treinos sabemos os jogadores que podem jogar em mais de uma posição", enfatizou.

O Santos volta a campo neste domingo, às 16h, quando tem pela frente o clássico contra o Corinthians, na Arena, pelo Campeonato Paulista. O Peixe já está classificado por antecipação para as quartas de final do estadual.

Santos