PUBLICIDADE
Topo
Comprar ingresso
Comprar ingresso

Corinthians

Cássio evita lamentar ausência na seleção: "Todos os convocados vêm bem"

Após ser herói no meio da semana, Cássio deve ser titular mais uma vez amanhã, contra o São Bento - PETER LEONE/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
Após ser herói no meio da semana, Cássio deve ser titular mais uma vez amanhã, contra o São Bento Imagem: PETER LEONE/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Arthur Sandes e Flávio Latif

Do UOL, em São Paulo

01/03/2019 12h53

Cássio viveu dias de emoções conflituosas nesta semana: após ser herói da classificação do Corinthians sobre o Racing (ARG) na Copa Sul-Americana na última quarta-feira (27), ontem o goleiro ficou fora da convocação para dois amistosos da seleção brasileira. O camisa 12 diz não se sentir mal pela ausência na lista e mira evolução no Alvinegro para voltar a ser lembrado por Tite.

"Não incomoda, mas isso não quer dizer que eu não queria estar [na seleção]. Claro que eu quero estar na seleção, mas tenho que respeitar a escolha porque todos têm seu mérito. Todos os goleiros que foram convocados vêm muito bem: o Alisson e o Ederson, o Weverton foi campeão brasileiro agora. Tem até outros goleiros que de repente poderiam ser convocados", opina Cássio, que perdeu a disputa por vaga nos amistosos da seleção contra Panamá e República Tcheca, entre 23 e 26 de março.

"Se eu consegui chegar na Copa do Mundo não foi ficando chateado, mas sim sabendo que meu trabalho no Corinthians, com regularidade e títulos, poderia me levar à seleção. É trabalhar para poder voltar e, quando o professor quiser contar comigo, estar à disposição", projeta o goleiro, que esteve com Alisson e Ederson no Mundial na Rússia em 2018, mas agora viu o palmeirense Weverton sair na frente nos meses que antecedem a Copa América.

Não foi por falta de protagonismo que Cássio foi ausência na lista de Tite. Na quarta-feira, o goleiro havia defendido duas cobranças de pênalti e garantiu a classificação do Corinthians para a segunda fase da Sul-Americana. Ele explica como foi a preparação antes das cobranças. 

"É um pouco de estudo e feeling. O professor Leandro [da Silva, auxiliar técnico] me ajudou muito, e o CIFUT passou as informações, então é um conjunto", afirma o goleiro, referindo-se ao Centro de Inteligência do Futebol do Corinthians. "Eles me guiaram nos cinco primeiros pênaltis, ajudaram muito. Só depois do quinto é que já não tinha muita informação, e aí foi pela sensação que eu tinha dos batedores e consegui ser feliz", celebra o camisa 12.

O nome de Cássio deve ser o primeiro da escalação do Corinthians que enfrenta o São Bento às 16h30 (de Brasília) de amanhã, no estádio Walter Ribeiro, em Sorocaba-SP. A expectativa é que Carille use até cinco jogadores considerados reservas na partida válida pela nona rodada do Campeonato Paulista.

Cássio exalta "sobrevivência" na maratona de fevereiro

No mês de fevereiro, o Corinthians enfrentou uma maratona com clássicos e jogos eliminatórios pela Copa Sul-Americana e Copa do Brasil. O resultado foi positivo: em oito partidas, o Alvinegro venceu quatro, empatou três e perdeu uma - derrota por 1 a 0 contra o Novorizontino, pelo Campeonato Paulista. Cássio afirma que o mês é satisfatório, já que a equipe lidera seu grupo na competição estadual, está na 2ª fase da Sul-Americana e na 3ª da Copa do Brasil.

"Foi bem corrido. Conseguimos chegar em todos os objetivos, que era se manter vivo em todas as competições. Tivemos muitas coisas que temos que aprender e evoluir. É bom que as coisas aconteçam agora para a gente evoluir. Temos que crescer como equipe. Estamos bem satisfeitos com os resultados, mas temos que melhorar um pouco mais", concluiu.

Reveja os pênaltis defendidos por Cássio na Argentina:

Corinthians