PUBLICIDADE
Topo

Seleção Brasileira

Seleção espera na Copa América ter Neymar "melhor do que no Mundial-2018"

Pedro Ivo Almeida e Vinicius Castro

Do UOL, no Rio de Janeiro

28/02/2019 11h44

Classificação e Jogos

A convocação da seleção brasileira para dois amistosos em março, realizada na manhã de hoje no Rio de Janeiro, foi marcada pela ausência de Neymar. O astro do Paris Saint-Germain se recupera de lesão no quinto metatarso do pé direito e só deve retornar aos gramados no fim da temporada europeia. O cenário é parecido com o que foi enfrentado na véspera da Copa do Mundo de 2018, mas a comissão técnica de Tite mostra um pouco mais de otimismo.

"Diferente da preparação para a Copa, quando chegar a apresentação na Copa América, ele já vai ter voltado a jogar pelo PSG, talvez até na Liga dos Campeões. Ele vai estar em condição melhor do que na Copa de 2018", avaliou o preparador físico Fábio Mahseredjian, durante a entrevista coletiva na sede da CBF.

Antes do Mundial da Rússia, Neymar também tinha uma lesão no pé direito, mas só foi conseguir voltar a jogar nos amistosos preparatórios para a Copa. Ou seja, chegou à competição mais importante do futebol sem estar com 100% de sua capacidade física e longe do ritmo de jogo ideal. 

Agora, Tite imagina que já terá seu camisa 10 em melhor estado quando iniciar a preparação da Copa América, em junho. Serão dois amistosos antes do torneio continental - dia 5, no Maracanã, contra o Qatar, e dia 9, no Beira-Rio, ainda sem adversário definido. Até lá, o técnico quer cuidar do lado pessoal de Neymar: "Nós temos conversado em caráter mais humano e solidário".

Daniel Alves é convocado pela primeira vez após a Copa do Mundo

Outra estrela do PSG foi assunto na convocação de hoje. O lateral-direito Daniel Alves foi chamado por Tite pela primeira vez desde o Mundial da Rússia. O veterano de 35 anos tem atuado na França muitas vezes como ponta, também pela direita, mas ainda atrai a seleção pelo poder de liderança.

"Quero tê-lo próximo. Ele tem 13 dos últimos 14 jogos do PSG. Só ficou fora de um. Ele vem jogando como ala, por vezes como externo. Assistimos a jogos e conversamos com ele. Quero vê-lo na função de lateral. Reiterando, ele é um líder muito importante. Ele tem uma capacidade de liderança, de expressão, de comportamento, de falar muito forte", exaltou o técnico.

Seleção Brasileira