PUBLICIDADE
Topo

Palmeiras

Bruno Henrique explica "não" a chineses, mas evita influenciar Deyverson

Meio-campista negou oferta da China no início do mês, mas prefere não interferir na decisão de Deyverson - Marcello Zambrana/AGIF
Meio-campista negou oferta da China no início do mês, mas prefere não interferir na decisão de Deyverson Imagem: Marcello Zambrana/AGIF

Arthur Sandes

Do UOL, em São Paulo

22/02/2019 15h44

Em meio à expectativa da permanência ou venda de Deyverson no Palmeiras, Bruno Henrique falou na tarde de hoje sobre os motivos que lhe convenceram a permanecer no clube mesmo tendo uma "proposta muito vantajosa' do futebol chinês. O meio-campista deu entrevista coletiva na Academia de Futebol tratando do tema, três semanas após renovar seu contrato.

"Tive essa proposta, que financeiramente era muito boa, muito vantajosa", admite Bruno Henrique, que preferiu seguir no Verdão em vez de ter salário mensal de cerca de R$ 1,7 milhão por mês no Tianjin Teda. 'Conversei bastante com meus familiares, empresários e com o Palmeiras também, que me ofereceu um projeto muito bom. Sou muito feliz aqui, tenho objetivo de ganhar mais títulos e marcar meu nome na história do clube", projeta.

Bruno Henrique agora tem vínculo até 2023, o que lhe permite sonhar com objetivos maiores. "Pesou bastante o fato de eu estar adaptado a um grande clube que vai brigar por todas as competições, quem sabe eu possa chegar à seleção brasileira. Foram estes os motivos que me fizeram ficar. Espero crescer no Palmeiras", afirma.

O meio-campista foi mantido pelo Palmeiras mediante aumento salarial, assim como havia ocorrido com Dudu dias antes. Não é esta a situação de Deyverson, que atualmente faz terapia com um psicólogo e cumpre suspensão por uma cusparada no clássico contra o Corinthians. Preferindo não se envolver muito na situação, Bruno Henrique pede tranquilidade para o companheiro tomar sua decisão.

"É uma coisa muito individual. É algo que vai do atleta conversar com a família, com os representantes, com o clube. A gente espera que ele possa tomar a melhor decisão para a carreira dele", diz Bruno Henrique.

O Palmeiras encaminhou a venda de Deyverson ao time chinês Shenzhen FC por 12 milhões de euros (equivalente a R$ 51,3 milhões na cotação atual. O Alviverde é dono de 70% dos direitos federativos do centroavante e ainda tenta fazer com que o Levante (ESP), que detém a fatia restante, abra mão de parte de sua quantia. O centroavante ainda não aceitou a proposta, mas já participa das conversas.

Siga o UOL Esporte no

Palmeiras