PUBLICIDADE
Topo

São Paulo

Volpi treina menos no São Paulo? Vídeo viraliza, mas realidade é diferente

Goleiro do Tricolor tem início irregular após ter a contratação comemorada pela torcida - Marcello Zambrana/AGIF
Goleiro do Tricolor tem início irregular após ter a contratação comemorada pela torcida
Imagem: Marcello Zambrana/AGIF

Bruno Grossi

Do UOL, em São Paulo

21/02/2019 04h00

Desde a última segunda-feira, um vídeo circula por redes sociais e mensagens de Whatsapp comparando treinamentos do goleiro Tiago Volpi no Querétaro, do México, e no São Paulo. A publicação foi feita pelo perfil "Canal São Paulinos", no Twitter, e ironiza a diferença nos trabalhos para dizer que a carga recebida no clube mexicano era mais intensa e melhor para o arqueiro.

De fato, os treinos de Volpi no Querétaro ficaram famosos pelo ritmo forte, graças aos vídeos postados pelo próprio goleiro em suas redes sociais. Atividades que envolviam diversos obstáculos e que visavam ao aprimoramento dos reflexos e da explosão. Trechos desses vídeos foram usados para exaltar o trabalho anterior feito com o camisa 23 do Tricolor.

O problema é que as imagens selecionadas no São Paulo representam o aquecimento do primeiro treino da temporada no CT da Barra Funda, ainda em 3 de janeiro. Elas foram captadas pelo site Globoesporte.com para indicar o início da trajetória de Volpi no clube e mostram toques fracos do preparador Marquinhos Trocourt apenas para o goleiro praticar quedas e se esquentar.

Volpi nunca registrou nenhuma reclamação sobre o trabalho de Trocourt, que conta ainda com o auxiliar Octavio Ohl, ao São Paulo ou a seu estafe. Pelo contrário, considera os dois preparadores bons profissionais. E, segundo o UOL Esporte apurou, nem no Querétero o arqueiro realizava os treinos fortes com uma frequência alta. No vídeo abaixo, é possível ver que esses exercícios "especiais" não aconteciam todos no mesmo período de treino, mas sim em dias diferentes.

Por serem exercícios muito puxados, ele são aplicados de forma mais espaçada, para evitar lesões ou desgaste físico dos goleiros. Com objetos diferentes em relação ao das atividades no México, Volpi e os companheiros de posição no São Paulo também fazer treinamentos do tipo no CT da Barra Funda.

Já foi usada uma cama elástica para os trabalhos de reflexo. Também já posicionaram bonecos que, fincados no chão, formavam uma lombada para desviar os chutes e aprimorar o poder de reação dos arqueiros. Bolinhas de tênis também já foram utilizadas. Além disso, há a óbvia diferença de métodos dos preparadores e de calendário. Neste início de ano, Volpi fez treinos mais leves pela maratona de jogos do São Paulo.

O Tricolor diz avaliar bem o trabalho de Marquinhos Trocourt, contratado em 2017 durante a passagem de Dorival Júnior e em substituição a Haroldo Lamounier, demitido após a saída de Rogério Ceni - hoje, os dois seguem juntos no Fortaleza. Outro preparador testado recentemente foi Carlos Gallo, ex-goleiro da seleção brasileira, que ficou no profissional apenas em 2016.

Volpi foi contratado no fim de dezembro do ano passado e assinou empréstimo de uma temporada. A ideia inicial é comprá-lo para 2020. Nos últimos anos, com a crise no gol tricolor, principalmente com Denis e Sidão, muitos torcedores fizeram campanha pela contratação de Volpi. 

Mas o início da trajetória do goleiro tem sido irregular. Em dez partidas, levou 13 gols. As atuações que geraram mais questionamentos foram as das derrotas para Santos e Corinthians no Campeonato Paulista, quando acabou vacilando em gols decisivos dos rivais.

São Paulo