Topo

Futebol


Em dois anos, atacante troca escola no interior de SP pelo futebol italiano

Destaque da Ferroviária na Copa SP, Felipe Estrella (dir) acertou com a Roma - Divulgação
Destaque da Ferroviária na Copa SP, Felipe Estrella (dir) acertou com a Roma Imagem: Divulgação

Emanuel Colombari

Do UOL, em São Paulo

02/02/2019 04h00

Ao longo de décadas, a Copa São Paulo de futebol júnior tem sido responsável por revelar e promover e jogadores a clubes de destaque nos cenários nacional e internacional. Mas é bem provável que o atacante Felipe Estrella não esperasse dar um salto tão grande como o que deu após a Copinha de 2019.

Na última quinta-feira (30), a Ferroviária anunciou o empréstimo do jogador de 18 anos para a Roma (Itália), na qual reforçará o elenco sub-20. Detalhe: dois anos antes, Felipe Estrella nem mesmo havia iniciado sua trajetória a caminho do mundo do futebol profissional.

Nascido em Araraquara (SP) no dia 10 de janeiro de 2001, Felipe Estrella Galeazzi trilhou um caminho incomum no esporte: ao invés de procurar clubes ainda na juventude, foi procurado. No começo, observadores da Ferroviária observavam adolescentes em partidas pela cidade. Em uma dessas, encontraram Felipe e o convidaram - mas como o jovem tinha compromissos escolares, receberam uma resposta negativa.

"A gente prioriza bastante os atletas da cidade, da região. Estávamos acompanhando escolas, projetos, escolinhas. Vimos ele jogando certa vez, convidamos para vir para cá no meio das férias, mas ele não veio definitivo por causa da escola", explicou Milton Costa, coordenador das categorias de formação da Ferroviária, ao UOL Esporte. "A gente tentou trazê-lo para cá no sub-15, mas ele estudava em uma escola, tinha bolsa e tudo mais, e acabou não vindo."

Leia também:

Só que pintou um segundo convite no segundo semestre de 2017. E desta vez, com o apoio da família, Felipe Estrella aceitou. No primeiro clube de sua vida, aos 16 anos, reforçou logo o time sub-17 da Ferroviária.

"É um menino que não tinha jogado ainda. Ele não jogou o sub-15 e chegou no meio do sub-17. Chegou bem 'cru', digamos assim. Ele tinha condições técnicas e físicas boas, tudo aquilo que foi visto na Copa São Paulo. Só que ainda não estava adaptado. Era um menino que só jogava bola pela cidade. Aí a gente identificou as virtudes dele e fomos trabalhando", conta Milton.

Felipe Estrella chegou à Ferroviária no segundo semestre de 2017; em pouco tempo, ganhou destaque - Divulgação
Felipe Estrella chegou à Ferroviária no segundo semestre de 2017; em pouco tempo, ganhou destaque
Imagem: Divulgação
Em pouco tempo, as virtudes apareceram. O empresário Guilherme Alves, responsável por gerenciar a carreira do atacante, é só elogios. "Mesmo jogando como camisa 9, ele ajuda muito na marcação, pressionando os zagueiros, forçando o erro dos adversários, facilitando para toda a equipe dele a marcação, já que a bola não sai com qualidade", analisou.

Milton Costa também demonstra empolgação com o atacante, capaz de atuar como centroavante ou pelos lados do campo. "Tem virtudes físicas para fazer isso", avalia. "É um menino bem dedicado, bem focado, muito sério. E acabou colhendo os frutos."

De fato, os frutos vieram. No Campeonato Paulista sub-17 de 2018, Felipe Estrella foi um dos artilheiros da Ferroviária, marcando sete gols na competição - mesmo número do meio-campo Jhonathan pela equipe - em 19 jogos. O time foi eliminado na segunda fase.

Veio então a Copa São Paulo 2019. Na primeira fase, jogando em Araraquara, a Ferroviária liderou seu grupo - o São Paulo, que seria campeão, foi o segundo na chave. No duelo da terceira rodada entre as duas equipes, marcou inclusive um dos gols no empate por 2 a 2.

Na segunda fase, a Ferroviária passou nos pênaltis pelo Velo Clube (SP), antes de reencontrar o São Paulo na terceira fase. Desta vez, os são-paulinos venceram por 2 a 0 e avançaram às oitavas de final. E embora o time araraquarense tenha se despedido ali, Felipe Estrella deixava a competição com quatro gols, despertando as atenções de clubes da Itália, da Holanda e do Brasil.

A melhor acabou sendo a da Roma: Felipe Estrella ficará no novo clube por empréstimo até o fim da temporada 2019/2020, quando a diretoria italiana poderá adquirir da Ferroviária parte dos direitos econômicos do atleta.

"A procura foi muito grande por outros clubes. Bastante gente nos procurou, enviou propostas querendo levar o Felipe. A da Roma, a gente achou a mais vantajosa - para o clube e para o menino. Ele sabe do potencial dele", explicou Milton Costa.

Já o empresário Guilherme Alves espera evolução de Felipe Estrella durante o empréstimo. "O futebol italiano gosta muito de centroavante alto com as características do Felipe, que se doa dentro de campo. Ele tem muito a desenvolver tecnicamente, mas creio que, na Europa, o desenvolvimento será muito mais tático", calcula o agente.

Mais Futebol