PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Ouro com a seleção no Rio, ex-Galo tenta se reerguer na 2ª divisão alemã

Tim Groothuis/ Divulgação Hamburgo
Imagem: Tim Groothuis/ Divulgação Hamburgo

Marcus Alves

Colaboração para o UOL, de Lisboa (POR)

22/01/2019 04h00

No início de dezembro, o Hamburgo, da Alemanha, organizou uma sessão de autógrafos com a garotada de suas escolinhas. Sentado no fundo da sala, assinando as camisetas uma a uma de forma paciente, estava o lateral esquerdo Douglas Santos. Nada menos que 1.400 crianças vieram ao evento, confirmando a fama do medalha de ouro com a seleção olímpica em 2016 como o principal nome do clube hoje.

Desde agosto, ele tem de lidar com uma nova realidade, disputando a segunda divisão alemã após o rebaixamento do Hamburgo na temporada passada.

Ao contrário do compatriota Walace, que se transferiu para o Hannover 96 e entrou recentemente nos planos de Tite, Douglas viu as propostas que chegaram serem recusadas. Entre outras, conforme apurado pelo UOL Esporte, PSV, Zenit e Schalke 04 fizeram abordagens para contar com o seu futebol.

O trio esbarrou, no entanto, na pedida do Hamburgo para negociá-lo em definitivo: 25 milhões de euros (R$ 103 milhões). As ofertas encaminhadas ficaram longe disso.

"Foi difícil (o rebaixamento) porque você sabe que o objetivo não foi conquistado. E pensei, sim, em trocar de ares até porque eu tenho muita vontade de jogar uma Champions League, mas tudo aconteceu para que eu ficasse no Hamburgo", afirma, em contato com a reportagem.

Existe agora uma conversa preliminar com o Bayer Leverkusen, que estuda avançar em sua contratação caso venda o também brasileiro Wendel, ex-Grêmio, na próxima janela de transferências europeia.

"Eu sou muito tranquilo em relação ao meio do ano. Mas fiquei feliz pelo interesse dos clubes, isso me motiva cada dia mais a continuar trabalhando forte porque sei que na frente irei colher os frutos", conta Douglas, descartando uma volta prematura ao Brasil.

"Não penso ainda. Quero ficar um bom tempo na Europa", completa.

Melhor lateral da Segundona alemã

O motivo de Douglas Santos seguir em alta nos gramados europeus, a despeito de sua atual condição, é o rendimento que vem mantendo mesmo na divisão de acesso. Para a revista Kicker, principal veículo esportivo do país, ele é o melhor lateral esquerdo do campeonato, superando, inclusive, Jonas Hector, do Colônia, que defendeu a seleção alemã por diversas vezes.

Ao todo, o lateral paraibano, que despontou pelo Náutico e se firmou no Atlético-MG, tem quatro assistências no campeonato. Boa parte do jogo da equipe passa por seus pés, o que explica por que ele é o segundo jogador da competição que mais toca na bola, com 1.489 mil contatos em 18 rodadas disputadas até aqui.

"Essa temporada tem sido muito importante para mim, sobretudo, pela necessidade de voltar à primeira divisão. O que eu venho fazendo é o meu trabalho, vou focar cada vez mais nisso para que em maio possamos juntos colocar o Hamburgo na primeira divisão", diz.

No mês passado, Douglas estampou a capa da revista oficial do Hamburgo em sua edição de natal.

O diretor de futebol Ralf Becker chegou a viajar ao Brasil no meio do ano passado para assegurar a sua permanência. Ele foi procurado recentemente para renovar o seu atual contrato, que se encerra em 2021, mas preferiu nem abrir conversa e rechaçou a oferta de aumento salarial.

Douglas Santos na seleção - AFP / Martin Bernetti - AFP / Martin Bernetti
Imagem: AFP / Martin Bernetti
Sonha com a Copa de 2022

O atleta de 24 anos não nega que suas ambições extrapolam o que o Hamburgo pode lhe oferecer neste momento, mesmo que se encontre plenamente adaptado à rotina no país e que venha confirmar o acesso.

"Depois da saída do Walace, fiquei cerca de dois meses como o único brasileiro do time, mas, então, chegou o Léo Lacroix, que é suíço e brasileiro. Aqui em Hamburgo, estou me virando bem, tenho pessoas boas ao meu lado que fiz amizade e colaboram comigo. Tudo isso fez com que eu aprendesse também o alemão, que ainda não é perfeito, mas estou tentando pegar a fundo", relata.

Pesa para Douglas ter visto o ex-companheiro Walace voltar a ser convocado pelo técnico Tite após deixar o time.

"Eu tenho esse sonho de voltar à seleção. É claro que, até 2022, pode acontecer bastante coisa, mas vou trabalhar para que possa ter a minha chance", concluiu.

Depois de fazer intertemporada na Espanha, o Hamburgo agora se prepara para a retomada do campeonato no dia 29. A equipe ocupa a liderança na tabela, com 37 pontos.

Futebol