PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Reforço menos badalado, Felipe Pires larga na frente para ser titular

Felipe Pires é um dos seis reforços do Palmeiras para 2019 - Guilherme Rodrigues/Futura Press/Folhapress
Felipe Pires é um dos seis reforços do Palmeiras para 2019 Imagem: Guilherme Rodrigues/Futura Press/Folhapress

Danilo Lavieri e Leandro Miranda

Do UOL, em São Paulo

18/01/2019 12h00

Dos seis reforços confirmados pelo Palmeiras para 2019, Felipe Pires é certamente o menos conhecido do torcedor brasileiro. Como saiu cedo para o futebol europeu, antes mesmo de atuar profissionalmente no país, o atacante de 23 anos sabe que ainda terá que apresentar seu futebol em campo para o torcedor. E pelos primeiros sinais da pré-temporada, ele receberá essa chance, já que largou na frente para ser titular do ataque alviverde.

No jogo-treino contra o Comercial, o primeiro do ano do Palmeiras, Felipe formou o trio de ataque ao lado de Dudu e Deyverson, ocupando a vaga que no ano passado foi de Willian - lesionado, o "Bigode" só deve voltar aos campos no segundo semestre. Ele tem boa chance de enfrentar o Red Bull no domingo (20), na estreia do Verdão no Campeonato Paulista, fora de casa.

A opção de Felipão pelo atacante que está emprestado do Hoffenheim mostra duas coisas. A primeira é que o treinador tem preferência por usar um jogador rápido e driblador pela ponta, em vez de um meia articulador como Gustavo Scarpa, que seria um dos candidatos naturais à vaga de Willian. A segunda é que Felipe Pires parece levar vantagem na disputa com Carlos Eduardo, outra opção de velocidade que o Palmeiras foi buscar no mercado para 2019.

Se depender da personalidade, o reforço não ficará devendo. Em sua entrevista de apresentação, Felipe Pires esbanjou confiança e disse que seu objetivo individual no ano é mostrar que o Palmeiras deve exercer a opção de compra para ficar com ele em definitivo. O atacante afirmou se inspirar em Neymar, exaltou sua velocidade e habilidade e disse que, por ter jogado na Europa, leva uma pequena vantagem contra os concorrentes.

"A Europa não é só mar de rosas, é difícil. No começo, foi muito difícil para mim, em termos de língua, clima. É diferente você jogar com 30 graus e jogar com menos 10. Pensei em voltar nos primeiros três meses, mas aprendi muita coisa, outra língua, outras culturas, lidar com a filosofia deles. Aprendi muito taticamente, porque para o alemão, é primeiro tática e depois técnica. Hoje posso voltar e mostrar o que aprendi, então tenho uma leve vantagem", avaliou.

Formado na base do próprio Red Bull, adversário palmeirense no domingo, Felipe Pires saiu com 19 anos para o Liefering, da Áustria, e passou pelo Red Bull Salzburg, do mesmo país, antes de chegar ao alemão Hoffenheim. Também rodou por empréstimo pelo FSV Frankfurt e pelo Austria Viena antes de ser cedido ao Palmeiras para esta temporada. O vínculo com o time paulista vai, a princípio, até o final do ano.

Além de Felipe Pires, o Palmeiras contratou o volante Matheus Fernandes, do Botafogo, os meias Zé Rafael, do Bahia, e Ricardo Goulart, do Guangzhou Evergrande, e os atacantes Carlos Eduardo, do Pyramids, e Arthur Cabral, do Ceará.

Futebol