PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Trunfo do Santos nos últimos anos, Pacaembu é "pedra no sapato" de Sampaoli

Jorge Sampaoli foi técnico da Universidad de Chile por duas temporadas, em 2011 e 2012 - Eliseo Fernandez/Reuters
Jorge Sampaoli foi técnico da Universidad de Chile por duas temporadas, em 2011 e 2012 Imagem: Eliseo Fernandez/Reuters

Do UOL, em São Paulo

24/12/2018 04h00

O técnico Jorge Sampaoli pode ter de superar um trauma à frente do Santos, pois deve voltar ao Pacaembu na temporada que vem. Trunfo do time alvinegro nos últimos anos, o estádio traz más lembranças ao novo comandante santista.

Na atual década, Sampaoli esteve duas vezes no Pacaembu como treinador da Universidad de Chile e foi derrotado em ambas. Primeiro, num duelo com o próprio Santos, na final da Recopa 2012. No mesmo ano, o São Paulo atropelou a La U por 5 a 0 na partida de volta das quartas de final da Copa Sul-Americana.

Na derrota para o Santos, a La U empatou sem gols em Santiago. No Pacaembu, com gols de Neymar e Bruno Rodrigo, o time brasileiro levantou a taça. Menos de dois meses depois, o São Paulo venceu os chilenos, que eram os atuais campeões da Copa Sul-Americana, por 2 a 0 fora de casa. Depois, golearam na capital paulista, com gols de Jadson (duas vezes), Lucas, Luis Fabiano e Rafael Toloi.

O Santos teve altos e baixos no Pacaembu em 2018, com quatro vitórias, seis empates e três derrotas em 13 jogos. O time santista, porém, ficou 25 jogos invicto no estádio entre 2014 e 2017, chegando a emendar 17 vitórias seguidas no local.

Apesar do mau retrospecto no Pacaembu, Sampaoli tem boas lembranças em outros estádios brasileiros na época em treinava a La U. Na campanha do título da Copa Sul-Americana 2011, a equipe chilena venceu o Flamengo por 4 a 0 no Engenhão na partida de ida das oitavas de final. Na semifinal, arrancou um empate por 1 a 1 com o Vasco em São Januário - um triunfo por 2 a 0 em Santiago levou a La U à final contra a LDU.

Sampaoli deixou a La U no fim de 2012 para assumir o comando da seleção chilena. Ele ocupou o cargo por pouco mais de três anos, com um título: a Copa América de 2015. Depois de uma passagem pelo Sevilla, da Espanha, o treinador acertou com a seleção da Argentina - ele foi demitido após a eliminação na Copa do Mundo na Rússia.

Futebol