Topo

Futebol


Rodrigo diz que Fla tremia para Vasco e que pôs Fred e Guerrero 'no bolso'

Ex-zagueiro Rodrigo gostava de provocar atacantes Guerrero (foto) e Fred - Reprodução / TV Globo
Ex-zagueiro Rodrigo gostava de provocar atacantes Guerrero (foto) e Fred Imagem: Reprodução / TV Globo

Do UOL, no Rio de Janeiro

10/12/2018 20h19

Aposentado oficialmente desde setembro deste ano, o ex-zagueiro Rodrigo - com passagens por São Paulo, Grêmio, entre outros, mas que ficou marcado quando defendeu o Vasco - relembrou ao canal de Youtube "Pilhado" os tempos de jogador e demonstrou que continua com sua língua afiada, afirmando que o rival Flamengo "tremia" para sua equipe cruzmaltina e que colocou os atacantes Guerrero e Fred "no bolso".

Sobre o Rubro-Negro, disse que o adversário fraquejava no clássico entre os times no período em que o Vasco foi bicampeão carioca (2015 e 2016).

"Nos dois anos tremia (Flamengo). A gente ganhava tudo dos caras. Às vezes eu pensava: 'hoje a galera não está legal', mas íamos e ganhávamos (risos)", disse o ex-defensor, revelando que a soberania era falada dentro do vestiário vascaíno: "Tinha o começo, meio e fim: no começo vão apavorar, no meio eles tremem e no final nós ganhávamos. E nós falávamos isso no vestiário".

Outro ponto marcante foi a rivalidade que construiu com os atacantes Guerrero (quando defendia o Flamengo) e Fred (quando atuava no Fluminense). Rodrigo nunca perdeu para a dupla com a camisa do Vasco e sequer sofreu gol deles.

"O que caía mais na pilha era o Fred. O Fred, quando acaba o jogo, ainda fala. Ele ainda continua pilhado. O Guerrero, quando acaba o jogo, acabou. O que ficou dentro de jogo, ficou. Já encontrei o Guerrero fora de campo e foi tranquilo", declarou.

Rodrigo demonstrou mágoa com Fred em uma das oportunidades em que o venceu e que foi criticado duramente pelo atacante que, na ocasião, disse que ele "podia aproveitar essa segunda chance que Deus deu para fazer amizades e coisas boas do futebol".

De acordo com o ex-zagueiro, Fred se referia ao período em que o defensor teve um embolia pulmonar e ficou um ano parado no Internacional.

"Os caras que trabalhavam com o Fred trabalhavam comigo também antes e sabiam o que eu passei", declarou.

Rodrigo, porém, revelou que encontrou Fred há cerca de dois meses no aniversário do filho do lateral direito Edilson, do Cruzeiro, que é seu compadre. O ex-zagueiro disse que o atacante pediu desculpas:

"Ele entrou e já foi reto onde eu estava. Ele veio e falou: 'desculpa lá por tudo o que ocorreu, não deveria ter feito aquilo'. E eu disse que era tranquilo e que não guardava mágoa. E foi só isso também. Ficou cada um na sua".

Por fim, disse ter colocado Fred e Guerrero "no bolso" neste período da rivalidade:

"Nunca perdi para os dois. Eu saí ganhando, eles não fizeram gols... Eu botei no bolso (risos)".

Futebol