PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Mano Menezes insinua falta de respeito de Marin na seleção: "Me chateou"

Thiago Ribeiro/AGIF
Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF

Do UOL, em São Paulo

25/09/2018 00h01

A demissão de Mano Menezes do comando da seleção brasileira ocorreu em novembro de 2012, mas voltou a ser pauta na noite desta segunda-feira (24). O técnico do Cruzeiro insinuou ter sido desrespeitado por José Maria Marin, então presidente da CBF.

"Eles iam para uma Copa do Mundo no Brasil e preferiram levar dois campeões do mundo, Parreira e Felipão, para dar segurança para a Copa. Entendo, mas a troca só deveria ter sido feita com mais respeito, isso me chateou. Mas também já passou, as minhas chateações duram 15 minutos. Eu levo uma vida tranquila", disse Mano, em participação no Fox Sports.

Na ocasião, o treinador foi removido do cargo poucos dias depois de conquistar o Superclássico das Américas contra a Argentina, o que causou estranheza; afinal, Mano Menezes já havia sobrevivido a resultados piores no comando da seleção brasileira, como a eliminação na Copa América.

Ele abriu o jogo sobre uma conversa que teve com Marin. "Eu disse ao presidente que entendia perfeitamente que o cargo da seleção era de confiança. Disse que ele podia se sentir livre para tomar as decisões que pretendia tomar. Só pedi para que tivesse respeito comigo, como profissional. Foi a única coisa que me chateou neste processo", acrescentou.

"Interromper o trabalho sempre é ruim, você cria uma expectativa e trabalha para que essa expectativa se concretize em um ciclo de quatro anos. Um ciclo que eu acho que é justo quando se é chamado para treinar a seleção brasileira", lamentou.

Na mesma participação no Fox Sports, Mano Menezes também abordou os assuntos árbitro de vídeo, expulsão de Dedé e representatividade de clubes brasileiros na Conmebol. Leia mais aqui.

Futebol