PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Com jovens, Atlético-MG abre exceção para veteranos e quer manter Léo Silva

Quase quarentão, jogador ainda não tem aposentadoria definida para o final do ano - Bruno Cantini/Atlético
Quase quarentão, jogador ainda não tem aposentadoria definida para o final do ano Imagem: Bruno Cantini/Atlético

Enrico Bruno e Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

21/09/2018 04h00

Desde que Sérgio Sette Câmara assumiu a presidência do Atlético-MG, ele, juntamente com o diretor de futebol, Alexandre Gallo, adotou uma política de enxugamento de gastos e de renovação do elenco. Uma das prioridades da dupla sempre foi apostar em jovens talentos para fazer dinheiro com vendas futuras. Mas o zagueiro, capitão e ídolo Leonardo Silva é um dos sobreviventes da nova filosofia. Apesar de quase quarentão, o defensor ainda está agradando a cúpula, que já pensa na possibilidade de renovar com o atleta por mais tempo.

Hoje aos 39 anos, o zagueiro pode até não apresentar o mesmo vigor e força física de outros anos, mas suas recentes atuações realmente o colocam como um dos pilares no setor defensivo do Galo. No início do ano, todos esperavam que 2018 fosse a última temporada do capitão, já que seu contrato vai até dezembro. Uma eventual renovação, no entanto, já começa a ser discutida.

Por causa da idade avançada, Leonardo Silva recebe atenção especial do departamento médico e já precisou ser poupado em algumas ocasiões para evitar qualquer risco de lesão. Apesar disso, apresenta números consideráveis: já entrou em campo 29 vezes, todas como titular, das 51 partidas oficiais do time em 2018.

Outro dado importante explica a importância de Léo Silva em campo. Pelo Brasileirão, o Atlético já sofreu sete derrotas, mas o zagueiro só esteve presente em uma delas, contra o Internacional, no Independência. Além da parte técnica, em alguns jogos fica visível a parcela de contribuição do jogador quando se refere à experiência e confiança dada aos mais jovens.

Atlético tem mais cinco jogadores que já passaram dos 30

Além de Leonardo Silva, outros dois jogadores também resistem ao plano de rejuvenescimento da diretoria e permanecem no clube. Aos 38 anos, Ricardo Oliveira é titular no ataque e já acumula 45 jogos, perdendo apenas para o goleiro Victor (35 anos e 50 jogos) neste quesito. No meio, Elias, de 33 anos, já entrou em campo por 39 vezes, enquanto o lateral Fábio Santos, também de 33 anos, soma 40 apresentações. Completando a lista e também em situação de definição sobre sua permanência, o volante Adilson tem 31 anos e 30 compromissos feitos.

Futebol