PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Corinthians conta com calendário e planeja time sub-23 para 2019

Andrés Sanchez, presidente do Timão, estuda criação da nova categoria - Daniel Vorley/AGIF
Andrés Sanchez, presidente do Timão, estuda criação da nova categoria Imagem: Daniel Vorley/AGIF

Bruno Grossi e Dassler Marques

Do UOL, em São Paulo

20/09/2018 04h00

Enquanto busca um fim de temporada mais regular no Campeonato Brasileiro e sonha com o título da Copa do Brasil, o Corinthians começa a pensar em 2019. E isso passa pela criação de uma nova categoria dentro do departamento de futebol. A diretoria está propensa a montar um time sub-23 para o próximo ano.

Outros clubes do país já têm investido na categoria há pelo menos dois anos, como Santos e São Paulo, mas o Timão se mostrava resistente. Uma promessa de ampliação do calendário do sub-23, porém, animou os dirigentes corintianos. Hoje, há apenas dois torneios disponíveis: a Copa Paulista (que é profissional, mas com os times grandes usando atletas da base) e o Brasileirão de Aspirantes. Ambos campeonatos curtos.

Com mais jogos para disputar, o clube presidido por Andrés Sanchez passou a considerar mais viável a implantação da categoria, vista também como oportunidade para observar talentos que ultrapassam a idade para o sub-20, jogadores que estavam emprestados ou jovens prospectados em outras equipes.

Seria uma forma de continuar o que já tem sido feito neste ano, como nas contratações de Fessin e Matheus Matias, do ABC, e Thiaguinho e Bruno Xavier, do Nacional-SP. Outra promessa buscada foi Gustavo Mosquito, do Coritiba, que deve se apresentar em 2019.

A criação do sub-23 ajudaria até a resolver o inchaço na comissão técnica principal. Desde que Jair Ventura foi contratado, o time passou a contar com quatro auxiliares: Emílio Faro, que chegou com o novo treinador, Osmar Loss, que foi efetivado durante três meses como técnico, Fabinho e Coelho. A tendência é que um deles, provavelmente entre Loss e Coelho, seja escolhido para dirigir a equipe de aspirantes. Além disso, em 2019, o centro de treinamento da base deve ficar pronto, ao lado de onde trabalham os profissionais, facilitando a integração.

Ter a nova categoria também poderia trazer ganhos políticos para Andrés. Um novo cargo diretivo seria aberto, o que ajudaria a fortalecer alianças ou criar novas nos bastidores do clube.

Futebol