PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Jadson chama responsabilidade e pode bater recordes no Corinthians

Último gol do meia ajudou o Timão a vencer o Sport e encerrar série negativa em 2018 - Bruno Riganti/AGIF
Último gol do meia ajudou o Timão a vencer o Sport e encerrar série negativa em 2018 Imagem: Bruno Riganti/AGIF

Bruno Grossi

Do UOL, em São Paulo

19/09/2018 04h00

Já se passaram 16 partidas do Corinthians desde que Rodriguinho se despediu do clube, após a derrota por 3 a 1 para o São Paulo, em 21 de julho. O time, de fato, sentiu a perda do meia, vendido para o Pyramids, do Egito, mas aquele que era seu parceiro para criar as jogadas ofensivas do Timão desde o ano passado tem tornado a vida alvinegra menos complicada após a saída. Jadson chamou a responsabilidade e está perto de quebrar recordes individuais.

"Qualquer clube no mundo sentiria a falta do Rodriguinho. Ele é um cara acima da média e, além disso, éramos muito próximos. Mas é o futebol, uns saem e outros chegam. Não podemos lamentar a saída dele e nem de outro atleta. Precisamos dar valor aos que estão no clube e trabalhar cada dia mais pra conseguir as vitórias e ir em busca dos objetivos do clube", analisou o meia corintiano, ao UOL Esporte.

O camisa 10 marcou quatro vezes desde a negociação de Rodriguinho, chegando a 13 gols na temporada. Se mantiver a média atual, de quase um tento a cada três partidas, conseguirá sua melhor marca nas duas passagens pelo Corinthians. O recorde atual pertence ao ano de 2015, quando anotou 16 gols. Em 2018, o armador ainda pode jogar mais 16 vezes, contando as rodadas finais do Campeonato Brasileiro e uma eventual final da Copa do Brasil.

Com o desempenho mostrado até aqui, Jadson já é o artilheiro do time na temporada, mas pode conseguir ainda mais. Ele está cinco gols atrás de Jô - 31 a 26 - no ranking de goleadores do Corinthians nas edições de pontos corridos do Brasileirão. O meio-campista também luta pela artilharia da história da Arena Corinthians, inaugurada em 2014. Atualmente, é o vice-líder, com 23 gols, contra 27 de Ángel Romero. Para finalizar, em uma meta mais ousada, está a nove gols de se tornar o maior artilheiro dos alvinegros neste século. São 47 tentos, contra 55 do líder Dentinho.

"Confesso que não penso muito nisso (chance de quebrar recordes). Claro que o gol é o principal objetivo do futebol e é o que todos nós buscamos, mas eu não tenho essa vaidade. Primeiramente, penso em colocar o meu companheiro em uma boa situação pra finalizar. Talvez, o fato de eu estar jogando mais centralizado neste ano, chegando mais dentro da área, esteja me ajudando a ter mais chances de fazer gols", diz Jadson, tentando explicar a boa relação com o gol em 2018.

Futebol