Topo

Futebol


Santos promete buscar Vágner Love no fim do ano e contratar "plano B" agora

Segundo Peres, Vágner Love chegou a assinar contrato e quer muito jogar no Santos - false
Segundo Peres, Vágner Love chegou a assinar contrato e quer muito jogar no Santos

Samir Carvalho

Do UOL, em Santos (SP)

17/08/2018 04h00

A busca por um camisa 9 não terminou no Santos após a frustrada negociação com Vágner Love nos últimos dias. Em entrevista exclusiva ao UOL Esporte, o presidente José Carlos Peres revelou que o caso Love “não morreu” na Vila Belmiro. Ele promete fazer de tudo para contratar o centroavante no fim desta temporada. Vale lembrar que o atacante tem contrato com o Besiktas, da Turquia, até junho de 2020.

“Agora não dá nessa janela, mas daqui quatro meses nós vamos garantir com certeza absoluta. Vamos ver e o interesse continua. Ele não pôde sair pois tem dois anos de contrato. Em dezembro vamos fazer um acordo com o Besiktas para liberar ele pra gente. Não morreu pra gente, vamos voltar com toda a carga para concretizar isso”, afirmou Peres.

Antes de fechar com Love, o mandatário santista está confiante que irá fechar com o “plano B” para camisa 9 nas próximas horas. Trata-se do atacante Junior Brandão, artilheiro do Campeonato Brasileiro da Série B, pelo Atlético-GO, como revelou o UOL com exclusividade.

“Ficamos sabendo depois do jogo que eles querem reabrir negociação. O Ricardo Gomes (executivo de futebol do Santos) queria saber se era verdade. O Ricardo esteve lá em Goiânia e o valor era ‘excepcional’. Este valor é muito cedo para pagar por este jogador. Nós vimos alguns jogos dele, acrescentaria bem, mas temos que esperar um valor razoável e que seja justo hoje. Tenho plena certeza que vai dar negócio nas próximas horas, ou melhor, a expectativa é que o negócio dê certo. Pode fechar, é um pedido do técnico (Cuca), ele acha que tem bastante valor”, disse.

José Carlos Peres disse que, além de Brandão, o próprio Vágner Love foi uma indicação do técnico Cuca. Por conta disso, o Santos abriu negociações na última segunda-feira. O dirigente revelou que Love já havia, inclusive, assinado o contrato e estava com muita vontade de vestir a camisa santista.

No entanto, após aceitar liberar o atacante, o Besiktas não enviou a rescisão contratual ao Santos. O caso contou com o “sumiço” do presidente do time turco, que estava na Áustria em pré-temporada de seu clube. Peres alega que o Santos não recebeu um retorno sequer da diretoria do Besiktas e explicou a reportagem toda a história que terminou sem um final feliz.

“Temos que elogiar a atitude do Vágner Love. Tomamos conhecimento que ele poderia vir nos últimos quatro dias. O Cuca nos avisou da possibilidade. Ele trabalhou com o Cuca duas vezes, uma delas na China. Eu fui atrás. É muito difícil fazer em quatro dias uma negociação dessa e colocar no BID (Boletim Informativo Diário) com a janela fechando. Contatamos o Besiktas, fizemos um trabalho, eles aceitaram liberar o jogador. Tivemos um trabalho com o Vágner Love. Ele estava louco pra vestir a camisa do Santos. Foi uma negociação dura, pois o que ele ganha lá é impossível pagar aqui. Ele não pode ganhar a mesma coisa aqui. Colocamos um valor pra ele, houve uma discussão, a gente fechou, ele assinou o contrato”, explicou.

“O time do Besiktas fechou o negócio, fomos procurar o presidente para mandar a rescisão, pois já tínhamos o contrato assinado. Esperamos o dia inteiro (quarta-feira) e não aparecia. Onde ele está? Ele estava na Áustria em pré-temporada e a gente querendo fechar logo. O presidente recebeu por e-mail toda a documentação. O Vágner tinha um dinheiro pra receber e fez um acordo com eles. E o santos Fez um esforço para resolver isso também. Eles se desentenderam e a gente ficou fazendo pressão, saímos do jogo, continuamos pressionando. Eu ligando, o Cuca ligando, o Ricardo Gomes ligando. E o que aconteceu? Não veio o contrato e ninguém deu uma satisfação para a gente até hoje”, completou.

Vágner Love assinou contrato de duas temporadas e meia com o Santos. O ex-atacante de Palmeiras, Flamengo e Corinthians receberia entre R$ 500 mil e R$ 700 mil mensais, somando salários, direitos de imagem, luvas e premiações por desempenho.

Futebol