PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Palmeiras rebate presidente da FPF: "Querem engavetar o quanto antes"

Jogadores de Palmeiras e Corinthians cercam Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza - THIAGO BERNARDES/FRAMEPHOTO/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO
Jogadores de Palmeiras e Corinthians cercam Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza Imagem: THIAGO BERNARDES/FRAMEPHOTO/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO

Do UOL, em São Paulo

10/05/2018 12h37

Por meio de seu departamento jurídico, o Palmeiras se manifestou nessa quinta-feira (10) sobre a entrevista de Reinaldo Carneiro Bastos ao jornal "O Estado de S. Paulo". Nela, o presidente da Federação Paulista de Futebol diz que não houve interferência externa na final do Campeonato Paulista e foi realizada uma rigorosa investigação sobre o tema pela entidade.

Diretor jurídico do Palmeiras, Alexandre Zanotta diz que a Federação "se enrola" toda vez que fala sobre a final e que a entidade é contraditória ao afirmar que investigou o tema depois de falar que não houve interferência externa logo após a decisão.

"Fica claro que a Federação tem mais a explicar do que imaginávamos. Cada vez que se manifestam, se enrolam mais. Nós queremos saber por que eles declararam logo após a partida que não houve interferência externa, mas mesmo assim iniciaram uma investigação interna sigilosa para tentar apurar. Por que nenhuma das provas e celulares foram analisados e disponibilizados em inquérito? Por que, mesmo sem essa análise, o inquérito foi arquivado? Por que após o arquivamento do inquérito ainda assim a federação seguiu investigação interna sigilosa? E, por fim, como podem afirmar que a análise unilateral de um único celular indica que não houve interferência externa? Por que a federação não entrou no debate de todas as demais evidências?", questiona Zanotta.

O diretor jurídico acusa a Federação de não investigar elementos do caso para "engavetar o caso o quanto antes".

"Não foram abordados os três minutos de demora para o quarto árbitro levar a informação para o árbitro, o porquê de o quarto árbitro somente levar a informação ao juiz depois de um contato com o quinto, o contato do delegado com o quarto árbitro, o contato do Dionísio com o assistente. Enfim, estão tentando mais uma vez simplificar e conduzir de forma ilegal, apenas para engavetar o caso o quanto antes", disparou.

Futebol