PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Novo Corinthians surpreende Carille, que vê postura à la Tite no 1º teste

Marlone - Gregg Newton/AFP - Gregg Newton/AFP
Marlone marcou o segundo gol corintiano
Imagem: Gregg Newton/AFP

Do UOL, em São Paulo

19/01/2017 07h31

Tite deixou o Corinthians rumo à seleção brasileira em junho passado. Sete meses depois, o time alvinegro ainda busca resgatar as características implantadas pelo treinador. No primeiro teste de 2017, com Fábio Carille no comando, a equipe conseguiu, em alguns momentos, chegar ao objetivo.

A avaliação é do próprio técnico. Segundo ele, a atuação corintiana na vitória contra o Vasco em Orlando, nos Estados Unidos, causou surpresa. "Estamos muito felizes pelo comportamento da equipe, pela ideia de jogo, além do resultado, como a equipe se comportou dentro de campo", disse Carille após o 4 a 1 que levou o Corinthians à final da Florida Cup.

"O conjunto me surpreendeu, o entendimento, a aproximação, como foi feita a pressão. Isso me surpreendeu", continuou o treinador, que desempenhou a função de auxiliar técnico do Corinthians por oito anos.

No pontapé inicial da temporada e com apenas dois dias de treinos em solo norte-americano, Carille colocou em campo um time com o mesmo esquema usado à exaustão por Tite na terceira passagem (2015-2016).

"Eu nunca escondi isso. É uma linha de trabalho que eu acredito e que deu certo. Vou dar continuidade a isso, sim. É isso que a gente busca: um time bem compactado, com triangulações e sempre chegando com muitos jogadores à frente", explicou.

Carille - Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians - Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians
Carille em ação à beira do campo: vitória por 4 a 1 sobre o Vasco
Imagem: Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians

Com o time no 4-1-4-1, o treinador viu lampejos da equipe de Tite. No primeiro gol, por exemplo, Camacho, que atuou por dentro na segunda linha de quatro, foi à frente e invadiu a área para concluir a jogada. No pivô, outro meia, Rodriguinho, ocupava o espaço do atacante Jô na referência.

A movimentação também se fez presente no segundo gol. Com Jô mais à direita, Romero, centralizado na entrada da área, serviu Marlone. O meia, que na teoria desempenha um papel pelo lado esquerdo, finalizou à frente do goleiro Martín Silva.

"O que foi cobrado dos atletas é que sempre que a bola estivesse em jogo tivesse bastante intensidade. Quando parasse, respirar para estar inteiro. Estou muito feliz porque foi acima do esperado. Além dos 4 a 1 ser um baita de um resultado, é como a equipe se comportou dentro de campo", ressaltou o treinador corintiano.

"A hora de testar é essa"

Carille ressaltou ainda que vê a Florida Cup como algo fundamental na formação da equipe que disputará o Campeonato Paulista a partir do próximo dia 5. A ideia é fazer mais testes na decisão do torneio, que será contra São Paulo ou River Plate-ARG, no próximo sábado, às 21h (de Brasília).

"Estou usando esse torneio como preparação mesmo. Eu quero chegar em São Paulo na segunda-feira com as coisas mais definidas. Sábado é bem provável que eu faça algumas mudanças. Esse é o momento. Não dá para fazer experiência e teste durante competição. Estou usando o torneio para avaliações e para que todos tenham entendimento de jogo", disse.

Dois times para avaliar

No triunfo diante do Vasco, Carille fez 11 alterações no intervalo. O Corinthians começou a partida com Cássio; Fagner, Pedro Henrique, Balbuena e Moisés; Gabriel; Romero, Rodriguinho, Camacho e Marlone; Jô.

O Corinthians do segundo tempo teve: Caíque; Léo Príncipe, Vilson, Yago e Marciel; Cristian; Giovanni Augusto, Paulo Roberto, Guilherme e Marquinhos Gabriel; Kazim.

Na etapa final, o Corinthians fez mais dois gols, com jogadas diferentes em relação aos primeiros. Primeiro, em cruzamento de Marquinhos Gabriel e conclusão de cabeça de Kazim. A oportunidade deu-se após pressão na saída de bola vascaína. Depois, em um lance de toques rápidos, Marquinhos fez o quarto (Guilherme e Kazim participaram do gol).

Apesar da estratégia ter dado certo, Carille pode manter o time titular mais tempo em campo na final. "A partir de agora começamos a pensar no jogo de sábado. Pode ser que uma equipe fique um pouquinho mais", disse.

Futebol