PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Flamengo tem 9 jogadores em baixa com a torcida. Wallace lidera rejeição

O zagueiro Wallace vive um momento delicado na relação com a torcida do Flamengo - Gilvan de Souza/ Flamengo
O zagueiro Wallace vive um momento delicado na relação com a torcida do Flamengo Imagem: Gilvan de Souza/ Flamengo

Vinicius Castro

Do UOL, no Rio de Janeiro

27/04/2016 06h00

Eliminado da Primeira Liga e do Campeonato Carioca, o Flamengo “lambe as feridas” e busca se reestruturar para a disputa do Campeonato Brasileiro e da Copa do Brasil. No entanto, o clima não é dos mais leves entre jogadores e torcida. Pelo menos nove deles estão em crise com os torcedores depois dos últimos resultados.

O capitão Wallace é o que enfrenta rejeição mais forte dos rubro-negros e um ambiente pesado. O goleiro Paulo Victor, o zagueiro César Martins, o lateral-esquerdo Jorge, o volante Márcio Araújo, os meias Gabriel e Alan Patrick, e os atacantes Emerson Sheik e Guerrero também tem sido bastante questionados pelos torcedores.

No setor defensivo, Paulo Victor vê a sombra de Alex Muralha no banco de reservas e o desejo de parte da diretoria em negociá-lo. A atuação na eliminação para o Vasco praticamente encerrou a possibilidade de uma renovação com César Martins. Esperança da base, o lateral Jorge caiu de rendimento desde o final do ano passado. Normalmente querido por treinadores, Márcio Araújo sofre com críticas constantes da torcida há tempos.

Olhando para o setor ofensivo, Alan Patrick segue manchado pela polêmica do "Bonde da Stella", Gabriel não consegue se firmar mesmo depois de inúmeras chances, enquanto Emerson Sheik e Guerrero ainda não correspondem ao investimento e estão longe do que já produziram nas respectivas carreiras. 

Os rubro-negros querem mudanças e também pressionam a gestão Eduardo Bandeira de Mello nas redes sociais. Com Wallace no topo da pirâmide de rejeição, o Flamengo tenta se reinventar e estuda o que fazer com o elenco para a sequência da temporada. 

Saídas não estão descartadas, assim como a chegada de um zagueiro e de outros nomes para reforçar o grupo. Por ora, o diretor executivo de futebol Rodrigo Caetano defende os atletas, principalmente Wallace, e diz acreditar na volta por cima em 2016.

“Eu lamento muito que isso ocorra. Sempre se escolhe um ou dois para cristo. Além de grande profissional, o Wallace é uma grande figura humana. Existe uma predisposição contrária. Ele só vai reverter participando de uma equipe vencedora. Imagine o quanto esses jogadores não têm que trabalhar o lado psicológico para reverter isso. Sei que ele vai superar, já demonstrou que tem qualidade”, encerrou.

Futebol