PUBLICIDADE
Topo

Futebol


Nada de Corinthians, SP ou Inter. Entenda por que Paulinho não vai voltar

Dassler Marques

Do UOL, em São Paulo

05/12/2014 14h03

No Internacional, ele é o nome dos sonhos para a Copa Libertadores. No Corinthians, um possível retorno dele é uma das plataformas de campanha do candidato Roberto de Andrade. E o São Paulo, segundo o jornal inglês The Mirror, também quer. Mas Paulinho dificilmente irá voltar. 

Na avaliação do estafe do jogador, e com a qual ele próprio compactua, retornar ao futebol brasileiro em 2015 seria descartar qualquer possibilidade de se firmar no mercado europeu. Aos 26 anos, e em sua segunda passagem pela Europa, Paulinho deve se restringir entre ficar no Tottenham-ING ou se transferir para outro clube do Velho Continente.

Há cerca de três meses, insatisfeito com as poucas oportunidades em seu clube, o volante procurou a diretoria do Tottenham para saber se deveria ir embora. De Mauricio Pocchetino, treinador da equipe, ouviu que estava fisicamente abaixo dos demais por conta da Copa do Mundo e de não participar da pré-temporada. Agora, aos poucos, tem sido mais utilizado.

Financeiramente, a operação também é complicada. Os salários de Paulinho, livres de impostos, são de aproximadamente R$ 800 mil mensais. Para voltar ao Brasil sem descer de patamar, precisaria receber 25% a mais. E o Tottenham, que pagou 25 milhões de euros (mais de R$ 75 milhões) por ele há pouco mais de um ano, não abre mão do investimento que fez.

Diante desse cenário, Paulinho só poderia voltar ao Brasil em duas condições. A primeira é seu empresário, Giuliano Bertolucci, convencer o Tottenham que jogar a Copa Libertadores pode ser interessante do ponto de vista de mercado. A sondagens feitas por Bertolucci, porém, a direção foi clara que não deseja emprestá-lo. A segunda seria o próprio jogador forçar uma transferência.

Apesar da insatisfação pelos poucos minutos de jogo, Paulinho e sua família levam uma vida agradável em Londres, se consideram bem adaptados à Inglaterra e ao idioma local. O mercado italiano, que já tentou contratá-lo anteriormente via Juventus e a Inter de Milão, é visto como a melhor alternativa por ele e por seu estafe.

No Brasil, Corinthians e Internacional ainda deram passos tímidos. Candidato da situação para as eleições em fevereiro, o corintiano Roberto de Andrade aposta no carinho de Paulinho pelo clube em que foi campeão mundial. Para a direção do clube e o próprio estafe do jogador, é improvável que ele queira retornar ao Brasil para outra equipe.

No Internacional, o relacionamento com o Tottenham é tratado internamente como uma arma para tentar Paulinho. Os dois clubes já negociaram o volante Sandro, quase fecharam a venda de Leandro Damião e fizeram parcerias nas divisões de base. A eleição que ocorre dentro de dez dias no Beira-Rio, porém, impede qualquer tipo de investida por enquanto. 

Futebol