PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Sócio no Paris 6, Andrés é aliado de Sheik para retornar ao Corinthians

Sheik dá beijo no amigo Isaac Azar, criador do restaurante Paris 6 - Divulgação/Instagram
Sheik dá beijo no amigo Isaac Azar, criador do restaurante Paris 6 Imagem: Divulgação/Instagram

Dassler Marques

Do UOL, em São Paulo

26/11/2014 06h00

A amizade com Andrés Sanchez, cotado para ser diretor de futebol do Corinthians em 2015, é um dos trunfos de Emerson Sheik para defender o clube novamente. De então presidente para jogador, o relacionamento entre ambos partiu para fora dos gramados e chegou até os negócios.

Incentivado por Sheik, Andrés Sanchez se tornou um dos sócios da franquia do badalado restaurante Paris 6. A cota na filial do Rio de Janeiro foi comprada por Andrés para o filho Lucas Sanchez, 21 anos.

Atualmente, Lucas vive em Miami, nos Estados Unidos. Por meio de sua assessoria de imprensa, Andrés negou a informação que também seja um dos cotistas da franquia do Paris 6 que será aberta justamente na mesma cidade americana. Ele não quis tecer mais comentários e disse que se trata de um assunto pessoal.

Foi justamente no Paris 6, em 2013, que Emerson motivou uma das maiores polêmicas recentes do Corinthians. O atacante divulgou foto com selinho no amigo e sócio Isaac Azar, chef do restaurante. Meses depois, Andrés entrou no negócio. Foi justamente ali, a partir do beijo de Sheik, que decolou o empreendimento famoso por atrair celebridades.

É certo que, para retornar ao Corinthians, Emerson Sheik também espera pelo apoio de Andrés. "O Sanchez tem muito carinho por ele e ele também tem muito carinho pelo Sanchez", disse Reinaldo Pitta, agente do atacante. "Ele ama o Corinthians. Posso te garantir que a maior tristeza da vida dele foi sair", acrescenta.

Depois do Campeonato Brasileiro, o possível retorno de Emerson deve ser discutido pela direção do Corinthians com a chapa da situação que disputa as eleições no próximo dia 7 de fevereiro. Candidato apoiado por Andrés Sanchez, Roberto de Andrade é o favorito para o cargo.

Emerson Sheik possui contrato com o Corinthians até o fim do primeiro semestre de 2015, mas havia sido emprestado para o Botafogo neste ano. Os salários de Sheik ainda estão entre os maiores do clube, na casa de R$ 500 mil mensais, juntamente de Elias.

Na atual diretoria e comissão técnica, o nome do jogador enfrenta muita resistência, sobretudo depois de críticas duras e públicas a Mano Menezes. Sheik, campeão mundial em 2012, é apontado como um dos responsáveis pela campanha ruim na última temporada e por ser um dos jogadores que teriam boicotado Alexandre Pato no Corinthians.

Futebol