PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Fla estaciona no mercado e tenta 'tiro único' com verba de Carlos Eduardo

Vinicius Castro

Do UOL, no Rio de Janeiro

30/04/2014 06h10

Sem dinheiro para investir em grandes contratações no momento, o Flamengo vai usar a janela de transferências para tentar um “tiro único” e reforçar o elenco com a aquisição prioritária de um camisa 10. A verba utilizada para pagamentos de salários do meia Carlos Eduardo ficará disponível após sua rescisão de contrato e será empenhada no processo.

A expectativa dos dirigentes é a de acertar o fim do vínculo com o atleta até o final da semana. As partes já chegaram ao acordo com o Rubin Kazan-RUS. Desta forma, ele fica livre para procurar outro clube no Brasil. Já o Rubro-negro deixa de pagar cerca de R$ 550 mil mensais e pode usar a quantia no futuro nome da posição ou dividi-la para outros setores.

Além do sonhado meia para organizar o jogo e comandar o time, a comissão técnica também solicitou aos dirigentes as contratações de um volante e de um lateral esquerdo. As duas posições podem até receber novidades um pouco antes da janela de transferências, que abre em 20 de junho e fecha no dia 20 de julho.

Embora reconheça a possibilidade de investir um valor considerável no salário para contratar um substituto de nome para Carlos Eduardo, a diretoria comandada pelo presidente Eduardo Bandeira de Mello vê como cenário ideal a divisão do montante com pelo menos mais dois atletas.

O discurso oficial dos cartolas ligados ao departamento de futebol destaca a tranquilidade para a sequência do trabalho e nega a aquisição de novos reforços por conta da situação financeira após a eliminação da Copa Libertadores e a perda de até R$ 10 milhões em receitas.

No entanto, a movimentação é intensa nos bastidores em busca de nomes que não comprometam o orçamento e possam reforçar o elenco para a sequência da temporada. O Flamengo mapeia especialmente os mercados sul-americano e europeu e sonha a cada dia com um camisa 10 que atenda aos anseios da torcida e do técnico Jayme de Almeida.

Futebol