PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Edmundo revela 'vergonha' por voltar a treinar e quer despedida digna pelo Vasco

Descontraído, Edmundo concede entrevista coletiva, nesta sexta-feira, em São Januário - Vinicius Castro/ UOL Esporte
Descontraído, Edmundo concede entrevista coletiva, nesta sexta-feira, em São Januário Imagem: Vinicius Castro/ UOL Esporte

Vinicius Castro

Do UOL, no Rio de Janeiro

16/03/2012 13h06

Edmundo atraiu todas as atenções, nesta sexta-feira, em São Januário. A importância do ídolo deixou o clássico contra o Botafogo, domingo, às 18h30, no Engenhão, pela Taça Rio, em segundo plano. Após treinar com o elenco, o Animal concedeu entrevista coletiva para falar sobre a despedida oficial do time cruzmaltino, no dia 28, contra o Barcelona de Guayaquil.

CARLOS ALBERTO SE APOIA NO FILHO E ENCARA SOLIDÃO POR 'ÚLTIMA CHANCE'

  • Vinícius Castro/UOL Esporte

    Carlos Alberto não disputa uma partida oficial desde 27 de novembro de 2011, quando entrou em campo pela última vez vestindo a camisa do Bahia. Devolvido ao Vasco, ele conta os segundos para voltar a jogar futebol enquanto treina afastado do elenco cruzmaltino. A solidão só é amenizada pela companhia do filho Lucca, de 2 anos, e pelo apoio constante dos torcedores pedindo a sua reintegração. Em entrevista exclusiva ao UOL Esporte admitiu erros, tristezas e não escondeu a ansiedade de poder atuar novamente.

A novidade é que Edmundo ficou envergonhado antes de subir ao campo para trabalhar com o atual elenco do Vasco. “Senti vergonha fazendo o caminho do vestiário ao campo. Não tem nada a ver depois de mais de três anos participar de um treino na  véspera de um jogo importante para o Vasco (risos). Cheguei e encontrei ex-companheiros que me deixaram tranquilo. Depois, veio a parte mais difícil do treinamento. Até foi tranquilo de alguma forma, mas confesso que fiquei bem desgastado (risos)”, comentou.

O ídolo da torcida volta a treinar na próxima segunda-feira e espera trabalhar em São Januário pelo menos três vezes por semana, enquanto concilia a profissão de comentarista de televisão.

“Sempre me dediquei muito. Jogando com os outros em forma acho que dá para compensar. Ainda tenho 10, 12 dias para melhorar essa condição física. Estou tentando me preparar para jogar os 90 minutos. É uma festa. São 32 anos desde o primeiro dia que entrei aqui. Parece que é a mesma coisa. Acho que esse convívio não vou perder nunca. Todos fizeram questão de me cumprimentar. Não tenho nenhuma pretensão de ser decisivo ou algo assim, mas se passar uma bola ali na frente vou tentar fazer o gol ou servir algum companheiro”, encerrou.

O técnico Cristóvão Borges e Juninho elogiaram Edmundo e disseram que a presença do jogador em São Januário é importante por tudo o que representa na história do clube.

Esporte