Topo

Copa 2018


França é salva por tecnologia da arbitragem e vence a Austrália no sufoco

Do UOL, em São Paulo

16/06/2018 08h52

Em um jogo que entrou para a história das Copas do Mundo pelo primeiro uso de um árbitro de vídeo (VAR), a França foi salva pelo uso da tecnologia da arbitragem para vencer a Austrália por 2 a 1 na abertura do Grupo C do Mundial, neste sábado (16), na Arena Kazan.

Brasil estreia às 15h deste domingo; veja a tabela
Simule os classificados e o mata-mata do Mundial
Super-heróis: Marcelo sofreu com 7 a 1 e ganhou peso

Clique aqui para ver os gols de França 2 x 1 Austrália.

O primeiro gol francês nasceu de um pênalti marcado após a consulta do VAR, convertido por Griezmann aos 13 minutos do segundo tempo. Depois do empate australiano em pênalti convertido por Mile Jedinak três minutos mais tarde, Paul Pogba dividiu com Aziz Behich e a bola tocou no travessão e depois perto da linha aos 36 minutos. Alertado pelo dispositivo para este tipo de lance, o árbitro uruguaio Andres Cunha confirmou o tento. A Fifa primeiramente colocou o francês como autor do gol, mas mudou no dia seguinte para contra de Behich. 

Com a vitória no sufoco, construída depois de um primeiro tempo travado, a França saiu na frente no Grupo C da Copa do Mundo com três pontos, enquanto a Austrália não tem nenhum. Os franceses voltam a campo no dia 21 de junho, quando enfrentam o Peru. Já os australianos encaram no mesmo dia a Dinamarca.

O lance histórico

AFP
Imagem: AFP

O primeiro uso do árbitro de vídeo em uma Copa do Mundo teve origem em um lançamento de Pogba em profundidade para Griezmann aos 9 minutos do segundo tempo. Joshual Risdon deu um carrinho e, em um primeiro momento, o árbitro uruguaio Andres Cunha teve a impressão de que o australiano fez o desarme na bola.

Na sequência, porém, o árbitro de vídeo foi acionado para a revisão do lance. Depois da decisão, Andres Cunha então voltou a campo, fez o sinal característico do uso da nova tecnologia e apontou para a marca do pênalti. O processo até a cobrança de Griezmann demorou três minutos.

Este nem precisou de VAR

O gol de empate australiano também teve origem em um lance de pênalti, mas neste o juiz nem precisou consultar o árbitro de vídeo. Após uma rápida hesitação, ele apontou para a marca da cal em um claro toque de mão do zagueiro Samuel Umtiti em cruzamento para a área australiana. Jedinak converteu.

Foi decisivo

Getty Images
Imagem: Getty Images
Lançamento para o pênalti sofrido por Griezmann e o gol da vitória. Pogba perdeu status desde a Copa do Mundo do Brasil-2014 dentro da seleção francesa, mas foi decisivo para a vitória contra a Austrália na estreia na Rússia.

O meio-campista, que hoje vê os holofotes brilharem mais o trio Mbappé-Griezmann-Dembelé, não foi brilhante e pouco apareceu no primeiro tempo, mas ao dar um passe em lance chave e participar diretamente de outro no segundo tempo, conseguiu fazer a diferença para a França. A Fifa, porém, elegeu Griezmann como o melhor do jogo.

Foi mal

O zagueiro Umtiti goza de grande prestígio no Barcelona e renovou contrato recentemente mesmo diante do assédio de diversos clubes europeus. Mas, ao colocar a mão na área em um lance não usual para um zagueiro de sua qualidade, quase arruinou a estreia da França. A sorte dele é que a França voltou a ficar em vantagem na sequência.

1º tempo: Domínio francês, mas equilíbrio em chances de gol

Apontada como uma das grandes favoritas ao título, a França teve um início de jogo promissor, mas de fôlego curto. Foram três finalizações em menos de seis minutos. Mbappé, Pogba e Griezmann exigiram defesas de Mathew Ryan, a mais difícil em chute do jovem de 19 anos - que fez a sua estreia em Copas. Mas, até o intervalo, o domínio francês se resumiu à posse de bola (52% a 48%), com poucas chances efetivas.

Tanto que a chance mais clara de gol do primeiro tempo foi australiana, em uma cabeçada de Mathew Leckie que exigiu grande defesa de Hugo Lloris aos 17 minutos. A Austrália ainda assustou em chute cruzado de Behich, no último lance do primeiro tempo, que passou perto da meta de Lloris.

Australiano recordista? Ainda não

REUTERS/John Sibley
Imagem: REUTERS/John Sibley
Disputando a sua quarta Copa do Mundo, o australiano Tim Cahill, de 38 anos, falhou em sua primeira tentativa de igualar o mesmo recorde atingido por Cristiano Ronaldo no último sábado - o de marcar pelo menos um gol em quatro edições consecutivas de Mundiais.

O veterano começou no banco de reservas e não saiu dele. Além de Cristiano Ronaldo, o brasileiro Pelé e os alemães Miroslav Klose e Uwe Seeler são os outros jogadores que ostentam o recorde de marcar em quatro Copas do Mundo consecutivas.

FICHA TÉCNICA
FRANÇA 2 x 1 AUSTRÁLIA

Data e hora: 16 de junho de 2018, às 7 horas (de Brasília)
Local: Arena Kazan, em Kazan (Rússia)
Árbitro: Andres Cunha (Uruguai)
Auxiliares: Nicolas Taran e Maurizio Espinosa (ambos do Uruguai)

Cartões amarelos: Mathew Leckie, Joshua Risdon e Aziz Behich (Austrália); Tolisso (França)
Gols: Griezmann (França), aos 13 min, Jedinak (Austrália), aos 16 min, e Behich (contra, para a França), aos 36 min do segundo tempo

FRANÇA: Hugo Lloris; Benjamin Pavard, Raphael Varane, Samuel Umtiti, Lucas Hernández; Corentin Tolisso (Matuidi), N'Golo Kanté, Pogba; Griezmann (Giroud), Mbappé e Dembélé (Fekir).
Técnico: Didier Deschamps

AUSTRÁLIA: Mathew Ryan; Aziz Behich, Mark Milligan, Trent Sainsbury, Josh Risdon; Aaron Mooy, Mile Jedinak, Tom Rogic (Irvine), Robbie Kruse (Arzani), Mathew Leckie; e Andrew Nabbout (Juric).
Técnico: Bert van Marwijk

Mais Copa 2018