PUBLICIDADE
Topo

Copa 2018

Demorou, mas chegou: Quaresma finalmente jogará uma Copa do Mundo

Ricardo Quaresma comemora gol durante a Eurocopa de 2016 - REUTERS/Lee Smith
Ricardo Quaresma comemora gol durante a Eurocopa de 2016 Imagem: REUTERS/Lee Smith

Do UOL, em São Paulo

18/05/2018 04h00

Classificação e Jogos

A Copa do Mundo, enfim, conhecerá “Harry Potter”. A magia das trivelas de Ricardo Quaresma renasce após quatro frustrações de defender a seleção de Portugal no torneio mais importante do futebol. O técnico Fernando Santos anunciou os 23 convocados para o Mundial na última quinta-feira (17) e o nome do atacante de 34 anos está entre eles.

Confira a tabela completa e o calendário de jogos
Simule os classificados e o mata-mata do Mundial
DOC: a Rússia Gay que não pode sair do armário

Foi com a camisa do Besiktas que Quaresma começou a se credenciar para os acontecimentos improváveis do ciclo de 2014 até 2018. As atuações na Turquia fizeram com que Fernando Santos o levasse para a Eurocopa. No torneio em que Portugal acabou campeão, Quaresma deixou a reserva para se tornar um importante coadjuvante da equipe.

As atuações no torneio e a constância nos últimos anos fizeram com que Quaresma conseguisse o que ninguém mais acreditava: jogar uma Copa do Mundo.

Portugal está no Grupo B da Copa do Mundo, junto com Espanha, Marrocos e Irã. A estreia da equipe de Fernando Santos acontecerá no dia 15 de junho, contra os espanhóis.

Rejeitado por Felipão e outros três

Ricardo Quaresma comemora gol por Portugal contra a Estônia - REUTERS/Rafael Marchante - REUTERS/Rafael Marchante
Imagem: REUTERS/Rafael Marchante

O drama de Quaresma com a Copa do Mundo começou em 2002. Na ocasião, Portugal chegava com esperança por ter o então melhor jogador do mundo Luís Figo. Nessa época, Ricardo Quaresma despontava como uma grande esperança do Sporting.

Seu nome esteve muito perto de figurar entre os 23 escolhidos de António Oliveira. A dúvida era tanta que o treinador chegou a colocar 24 nomes na lista. Na entrevista de anúncio, contudo, decidiu cortar um: Ricardo Quaresma.

Mesmo assim, uma nova esperança se abriria para Quaresma aquele ano. Daniel Kenedy foi flagrado no doping e cortado da Copa do Mundo. Surgia um novo “não” ao jogador do Sporting: António Oliveira escolheu Hugo Viana.

Quatro anos mais tarde foi a vez de Felipão negar Quaresma, já badalado por sua passagem pelo Barcelona e agora detentor do apelido “Harry Potter”, pela magia que apresentava em campo. O técnico brasileiro, contudo, chamou o jogador para apenas um jogo das Eliminatórias para o Mundial e preferiu que ele defendesse Portugal na Eurocopa sub-21 a disputar a Copa do Mundo com o time principal.

O “não” em 2010 não chegou a surpreender. Quaresma atuou em apenas 11 partidas pela Inter de Milão na temporada anterior à Copa do Mundo. Ainda assim, figurou entre os 50 nomes pré-convocados por Carlos Queiroz. Quando a lista diminuiu para 23, ficou de fora.

No ciclo do Mundial no Brasil, Quaresma foi a esperança de última hora. O atacante deixou o Al Ahli, dos Emirados Árabes, para jogar no Porto. Com a camisa azul e branca, foi o destaque de um time que pouco brilhou. Na seleção, brigava por posição com Nani, que pouco jogava no Manchester United. Ainda assim, Paulo Bento optou por deixá-lo fora da lista dos 23.

“Tenho que aceitar as críticas. Nani tem características diferentes de Quaresma. Quaresma ficou sem jogar e depois de dois meses todo mundo achou que ele era selecionável. Os 23 são os que acho que melhor servem aos interesses da seleção”, justificou Paulo Bento na época.

Copa 2018