PUBLICIDADE
Topo

Copa 2018

10 momentos que provam que não dá para piscar nem por um instante na Copa

Mordida do uruguaio Luis Suárez no zagueiro da Itália Giorgio Chiellini - Javier Soriano/AFP
Mordida do uruguaio Luis Suárez no zagueiro da Itália Giorgio Chiellini Imagem: Javier Soriano/AFP

Do UOL, em São Paulo

26/04/2018 04h00

Além de ser a maior competição do futebol mundial, a Copa do Mundo é recheada de momentos peculiares que ficarão na memória do torcedor para sempre. Quem não se lembra da mordida do uruguaio Luis Suárez no zagueiro da Itália Giorgio Chiellini, por exemplo? Nesta lista, o UOL Esporte mostra porque você não pode perder o Mundial da Rússia nem por um instante. 

Veja os motivos:

  • A cabeçada de Zidane em Materazzi

    Atualmente Zinedine Zidane é um dos técnicos mais respeitados do mundo. Mas quando era jogador, ele protagonizou uma cena lamentável, ao dar uma cabeça em Marco Materazzi na final da Copa do Mundo de 2006, entre França e Itália. Zidane foi expulso e viu os italianos serem campeões do mundo. Além disso, aquele foi o último jogo da carreira dele, pois já tinha anunciado que só ia disputar a Copa e se aposentar.

  • A mordida de Suárez em Chiellini

    Na ocasião, em um jogo entre Itália e Uruguai na primeira fase da Copa de 2014, Luis Suárez mordeu o ombro de Giorgio Chiellini durante uma disputa na área. A arbitragem não viu o lance, mas posteriormente o atacante acabou pegando um gancho de nove jogos da Fifa e desfalcou o Uruguai no restante do Mundial - o time foi eliminado nas oitavas de final pela Colômbia.

  • O Kaiser Franz Beckenbauer e seu ombro deslocado

    Na Copa do Mundo de 1970, realizada no México, Franz Beckenbauer ficou na história da seleção alemã e do futebol. Na semifinal contra a Itália, a Alemanha estava perdendo por 1 a 0 quando o jogador sofreu uma falta e teve o ombro deslocado aos 22 minutos do segundo tempo. O técnico Schoen já tinha feito todas as alterações e, com isso, o atleta permaneceu em campo, jogando, inclusive, a prorrogação com uma tipoia.

  • A mão de Suárez salvando o Uruguai na Copa de 2010

    No último lance do segundo tempo da prorrogação da partida entre Gana e Uruguai, Luis Suárez colocou a mão na bola dentro da área e salvou o gol que renderia a eliminação de seu time. O árbitro marcou pênalti e expulsou o atleta. Em qualquer outra situação, ele seria o vilão. Mas ele se tornou o herói da classificação do Uruguai para sua primeira semifinal de Copa do Mundo em 40 anos, porque Asamoah Gyan acabou errando a penalidade. E, na disputa por pênaltis, a seleção do país sul-americano se deu melhor.

  • A 'mão de Deus' de Maradona

    E quem não se lembra da 'mão de Deus' de Diego Maradona? O ex-árbitro tunisiano Ali Bennaceur validou o gol de mão do ex-camisa 10 da Argentina contra a Inglaterra nas quartas de final da Copa do Mundo de 1986, em jogo no Estádio Azteca, na Cidade do México. O ex-juiz alegou não ter visto o toque de mão no polêmico gol. Na mesma partida, o ex-camisa 10 voltou a balançar as redes, após deixar cinco marcadores pelo caminho. Os argentinos venceram os ingleses por 2 a 1 e acabaram sagrando-se campeões do mundo ao passar por Bélgica (semifinais) e Alemanha Ocidental (final).

  • Baggio e o pênalti que foi lá para a lua

    Alguns lances ficam marcados na história do futebol. E um dos mais famosos aconteceu na decisão entre Brasil e Itália, na Copa do Mundo de 1994, nos Estados Unidos. Na ocasião, Roberto Baggio perdeu a penalidade que deu ao Brasil o tetracampeonato mundial. Ele mandou a bola lá para a lua e é lembrado até hoje por esse lance.

  • Fisioterapeuta inglês se machuca ao comemorar gol

    Sturridge anotou para a Inglaterra contra a Itália aos 36 minutos do 1° tempo do duelo pelo Grupo D da Copa do Mundo de 2014, no Brasil. Essa foi a deixa para que o banco inglês saísse correndo para comemorar com o atacante. Mas nem todos conseguiram alcançá-lo. Gary Lewin, fisioterapeuta da seleção inglesa, se contundiu ao tentar correr para comemorar o gol e teve que ser atendido por médicos deitado no gramado da Arena da Amazônia. Ele precisou passar por uma cirurgia e teve que ir embora do Brasil mais cedo.

  • Kramer bate a cabeça e esquece de parte da final em 2014

    O volante Christoph Kramer viveu um dos momentos mais bizarros de Copas. Ele se esqueceu do 1º tempo da final entre Alemanha e Argentina, em 2014, no Brasil. Kramer começou a partida mais importante de sua vida como titular por causa de uma lesão do titular Khedira no aquecimento. Mas o que parecia um golpe de sorte acabou se revelando um grande azar. O volante "apagou" após bater a cabeça ainda no primeiro tempo. Quando acordou, perguntou ao árbitro se aquela era mesmo a final da Copa do Mundo. Foi a deixa para o juiz avisar o time da Alemanha, que substituiu Kramer logo em seguida.

  • Ousadia de Higuita acabou em falha

    Conhecido pelas ousadias em campo, o goleiro René Higuita pagou o preço por uma de suas "gracinhas". Nas oitavas de final da Copa do Mundo de 1990, o arqueiro da Colômbia deu um gol de graça para a seleção de Camarões e acabou vendo seu time sendo eliminado do Mundial da Itália após perder por 2 a 1. No lance, Higuita foi até a intermediária do campo colombiano para dominar uma rebatida dos adversários aos quatro minutos. O camisa 1, então, tentou driblar Roger Mila e se deu mal, sofrendo o gol.

  • Jorge Mendonça e o longo aquecimento

    Jorge Mendonça ficou conhecido por fazer um dos mais longos aquecimentos para entrar em campo. Na copa de 1978, ele foi chamado pelo técnico Cláudio Coutinho para substituir Galinho no duelo contra a Espanha. Mas ele passou 38 minutos se aquecendo na beira do gramado e só entrou quando faltavam sete minutos para o apito final.

Copa 2018