PUBLICIDADE
Topo

Rodrigo Mattos

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Índice da CBF aponta que todos os times do Brasileiro podem receber torcida

Maracanã, onde Flamengo e Fluminense atuam - Secretaria de Cultura do RJ
Maracanã, onde Flamengo e Fluminense atuam Imagem: Secretaria de Cultura do RJ
Rodrigo Mattos

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de ?O Estado de S. Paulo? em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

10/09/2021 04h00

Ao definir as regras para a volta do público aos estádios, a CBF estabeleceu um critério epidemiológico para se determinar quando uma cidade pode receber torcedores. Chama-se taxa de normalidade. Atualmente, por esse índice, todas as 29 cidades dos times dos Brasileiros das Séries A e B poderiam ter torcida nas arenas.

Há uma disputa em curso entre os clubes e a CBF, de um lado, e o Flamengo, do outro, para a volta do público no Brasileiro. O time rubro-negro quer receber torcedores baseado na liminar obtida no STJD, CBF e clubes defendem que isso aconteça quando todos os Estados estiverem autorizados. Baseiam-se em decisão do Conselho Técnico da Série A.

A CBF e federações já iniciaram negociações com os Estados para tentar liberações. A última reunião entre clubes indicou um possível retorno no início de outubro. Há previsão de um novo encontro para deliberar sobre o assunto no final do mês.

Nas negociações com autoridades, a CBF vai mostrar seus números para indicar que é possível o retorno de público. A taxa de normalidade é um índice criado pelos infectologistas Carlos Starling e Bráulio Couto, da comissão médica da CBF.

Para o cálculo do índice, são levados em conta seis itens: taxa de incidência de novos casos, tendência de novos casos, mortalidade por milhão, tendência de mortalidade por milhão, letalidade e percentual da população totalmente vacinada. Cada item tem uma pontuação. Ao final, calcula-se um número final.

Desse valor obtido, a CBF indica que é possível ter um determinado percentual de público naquela cidade. Pode ser até 10%, até 30%, até 50% e acima de 50%. Segundo o presidente da comissão médica da CBF, Jorge Pagura, todas as cidades poderiam receber algum percentual de público pelos dados atuais.

"Muitos estão acenando com liberação! Devemos agora, junto com Federações e clubes, fazer uma 'rodada de reuniões' junto a autoridades com o nosso 'Protocolo Mãe' que é amplo e adaptando às condições dos estados e cidades!! Pelo nosso índice de normalidade, todas as cidades dos clubes das séries A e B teriam condições de ter público em porcentagens diversas", afirmou Pagura.

Rodrigo Mattos