PUBLICIDADE
Topo

Rodrigo Mattos

NOTÍCIA

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

CBF mostra ao Vasco VAR afetado por sombra e sem checar gol do Inter

Após falha no VAR, Vasco pedirá anulação de jogo contra o Inter - Divulgação/Internacional
Após falha no VAR, Vasco pedirá anulação de jogo contra o Inter Imagem: Divulgação/Internacional
Rodrigo Mattos

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de ?O Estado de S. Paulo? em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

19/02/2021 17h00

Em reunião nesta sexta-feira, a comissão de arbitragem da CBF mostrou a representantes do Vasco as imagens e áudios do VAR no lance do gol do Internacional. O vídeo mostra que o sistema de linha de impedimento confunde as linhas do campo com a linha da sombra e, por isso, perde a referência para verificar o lance. Não há checagem de fato do impedimento pelo vídeo e a decisão da arbitragem do campo é mantida. O problema não foi inédito.

No domingo passado, o volante colorado Dourado fez um gol de cabeça em cruzamento na área em jogo contra o Vasco. Logo em seguida, o árbitro Flávio Rodrigues passa a esperar a checagem do VAR para saber se o jogador estava impedido.

Em cerca de três minutos, as imagens do VAR mostram os operadores tentando traçar a linha de impedimento. Mas sempre que há uma tentativa: o sistema considera como linha lateral a fronteira entre a sombra e o gol. Com isso, causa uma distorção no sistema e nas referências de campo que impede a correta verificação.

Os árbitros do VAR repetem para Flávio Rodrigues que não conseguem traçar a linha. Tentam fazer as paralelas do campo na mão, mas não conseguem uma referência. Após mais de três minutos de tentativas, eles desistem e avisam que não dá para checar o impedimento. Durante esse período, os auxiliares de vídeo não tentam checar no olho o impedimento. Isso contraria a informação dada pela CBF de que o lance tinha sido checado no vídeo.

Ao final, com o fracasso do sistema, os árbitros do VAR avisam para Flávio Rodrigues que é para manter a decisão de campo do auxiliar de arbitragem (bandeira), isto é, de validar o gol. As imagens mostram que Dourado está encoberto por Cuesta, entre outros jogadores, na visão do auxiliar de campo.

Por isso, dirigentes do Vasco continuam com a impressão de que Dourado estava impedido. O clube seguirá com sua ação no STJD para tentar anular a partida com a alegação do lance do VAR.

O Vasco está na zona de rebaixamento do Brasileiro, um ponto atrás do Bahia, a duas rodadas do final do Brasileiro. Enfrenta o Corinthians, no domingo.

Durante a reunião, a comissão de arbitragem admitiu que não foi a primeira vez que houve o problema de descalibragem do VAR. Isso já tinha ocorrido em outras partidas, mas não afetou um lance decisivo como no caso do jogo Vasco x Internacional.

Depois da descalibragem do sistema do VAR, a CBF conseguiu resolver alguns minutos depois. Ou seja, voltaram a funcionar as linhas de impedimento ainda durante a partida. A confederação também mostrou que o sistema estava funcionando antes da partida e só descobriram o problema das linhas na hora do gol do Internacional.

Rodrigo Mattos