PUBLICIDADE
Topo

Rodrigo Mattos

NOTÍCIA

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Por que pedido do Vasco de anular jogo com o Inter não deve ter sucesso

O árbitro Flávio Rodrigues analisa o VAR (árbitro de vídeo) durante a partida entre Vasco e Internacional, pelo Brasileirão 2020 - Max Peixoto/Estadão Conteúdo
O árbitro Flávio Rodrigues analisa o VAR (árbitro de vídeo) durante a partida entre Vasco e Internacional, pelo Brasileirão 2020 Imagem: Max Peixoto/Estadão Conteúdo
Rodrigo Mattos

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de ?O Estado de S. Paulo? em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

14/02/2021 19h58

A requisição do Vasco de anular o jogo com o Internacional por conta de falha no VAR dificilmente terá sucesso. Há dois motivos: 1) a anulação do jogo só ocorre em caso de erro na aplicação da regra 2) O protocolo de VAR da CBF prevê que falhas na tecnologia não implicam em invalidar a partida.

No lance discutível, Dourado fez o gol de cabeça em cruzamento na área. A sua posição deveria ser checada porque era discutível. O árbitro Flávio Rodrigues demorou e deu o gol.

Em entrevista no intervalo, Dourado informou que o árbitro disse aos jogadores que o VAR estava descalibrado. Posteriormente, a diretoria do Vasco confirmou a informação e disse que a arbitragem tinha pedido para tirar câmera da Vasco TV porque o árbitro de vídeo não estava funcionando bem.

O Manual de implementação em competições oficiais do VAR informa que não há por que anular o jogo se houver: "Defeito(s) na tecnologia do VAR (inclusive na tecnologia da linha de gol - GLT)" Erros do VAR também não geram anulação.

Mais relevante, pelo Código Brasileiro de Justiça Desportiva, a partida só pode "ser anulada se ocorrer, comprovadamente, erro de direito revelante o suficiente para alterar seu resultado". Ou seja, o árbitro Flávio Rodrigues teria de cometer um erro na aplicação da regra, o que não foi o caso.

"Não me parece ser o caso. É válida a decisão do árbitro", diz o advogado de direito esportivo Eduardo Carlezzo.

Rodrigo Mattos