PUBLICIDADE
Topo

Receba os novos posts desta coluna no seu e-mail

Email inválido
Seu cadastro foi concluído!
reinaldo-azevedo

Reinaldo Azevedo

mauricio-stycer

Mauricio Stycer

josias-de-souza

Josias de Souza

jamil-chade

Jamil Chade

Renato Mauricio Prado

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Cirurgiã condenada por lavagem de dinheiro opera zagueiro do Flamengo

Fabricio Bruno foi operado 45 dias depois de se machucar - Marcelo Cortes/CRF
Fabricio Bruno foi operado 45 dias depois de se machucar Imagem: Marcelo Cortes/CRF
Conteúdo exclusivo para assinantes
Renato Mauricio Prado

Renato Mauricio Prado é jornalista e trabalhou no Globo, Placar, Extra, Rádio Globo, CBN, Rede Globo, SporTV e Fox Sports. Assina atualmente uma coluna diária no Jornal do Brasil. A primeira Copa que cobriu in loco foi a da Argentina, em 1978.

16/05/2022 15h17

Contundido no primeiro jogo das finais do Carioquinha, no dia 30 de março, foi operado, no último domingo, dia 15 de maio, o zagueiro Fabrício Bruno para corrigir uma lesão no ligamento do dedão do pé. O departamento médico do Flamengo, chefiado pelo doutor Márcio Tanure, passou 45 dias tentando, sem sucesso, um tratamento conservador, que incluiu infiltração de corticoides.

A operação foi realizada pela ortopedista especializada em cirurgias de pé e tornozelo, Verônica Viana, esposa de Sérgio Cortes, ex-secretário de saúde do governo Sérgio Cabral, condenado a 16 anos e 9 meses de prisão por corrupção, lavagem de dinheiro e evasão de divisas. No mesmo processo, Verônica foi condenada a 4 anos e 5 dias de cárcere, por lavagem de dinheiro e evasão de divisas. Ela recorre em liberdade.

Verônica é companheira de Tanure na coordenação de um curso de pós graduação em medicina do esporte, ministrado no Instituto D'Or. Faz parte também do curso a doutora Renata Castro, ex-diretora médica da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA), demitida um dia antes da revelação do doping da nadadora Rebeca Gusmão, em 2007.

O chefe do DM rubro-negro, Márcio Tanure, não faz cirurgias. Apenas as acompanha.