PUBLICIDADE
Topo

Blog do Perrone

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Perrone: Reforços pressionam Sylvinho a mostrar que está à altura deles

Sylvinho observa treino do Corinthians - Rodrigo Coca/Agência Corinthians
Sylvinho observa treino do Corinthians Imagem: Rodrigo Coca/Agência Corinthians
Conteúdo exclusivo para assinantes
Perrone

Ricardo Perrone é formado em jornalismo pela PUC-SP, em 1991, cobriu como enviado quatro Copas do Mundo, entre 2006 e 2018. Iniciou a carreira nas redações dos jornais Gazeta de Pinheiros e A Gazeta Esportiva, além de atuar como repórter esportivo da Rádio ABC, de Santo André. De 1993 a 1997, foi repórter da Folha Ribeirão, de onde saiu para trabalhar na editoria de esporte do jornal Notícias Populares. Em 2000, transferiu-se para a Folha de S.Paulo. Foi repórter da editoria de esporte e editor da coluna Painel FC. Entre maio de 2009 e agosto de 2010 foi um dos editores da Revista Placar.

20/09/2021 09h39

Desde que chegou ao Corinthians, Sylvinho conseguiu fazer o time evoluir. Deu uma cara para a equipe, melhorou o sistema defensivo e entregou um ataque com um pouco de mobilidade, mas ainda longe do ideal.

Tudo isso antes da época das vacas gordas, que trouxe Renato Augusto, Willian, Roger Guedes e Giuliano.

Neste domingo (19), no empate em um gol com o América-MG, com todos à disposição, o time mostrou falhas coletivas graves e qualidade individual de topo de tabela.

Chamou atenção a desorganização na marcação, principalmente no meio de campo, o que sobrecarregou a defesa, além da já manjada fragilidade defensiva de Fábio Santos.

A marcação caótica fez com que o Alvinegro sofresse 16 finalizações jogando em casa, um arremate a mais do que o Corinthians conseguiu fazer na partida.

Sylvinho não conseguiu equilibrar ataque e defesa, mesmo com o esforço do estreante Willian para ajudar na marcação.

"Calma, o time ainda vai ganhar entrosamento com os novos reforços", você pode dizer.

Tempo é tão fundamental para o técnico acertar a equipe quanto escasso. Esse desconto precisa ser dado para o treinador. Mesmo assim, ele ficou devendo contra o América-MG.

Na opinião deste colunista, o jovem treinador deixou no ar dúvida sobre se pode dar à equipe, com a rapidez que o Brasileirão exige, a estrutura coletiva que seus talentos ofensivos precisam para brilhar sem comprometer a defesa.

Os reforços de peso pressionam Sylvinho a mostrar que está à altura deles. Obter resultados razoáveis com um elenco frágil ele já mostrou ser capaz. Agora precisa provar poder fazer uma equipe com talentos individuais ser forte também coletivamente.

Inscreva-se no Canal Ricardo Perrone no YouTube.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Blog do Perrone