PUBLICIDADE
Topo

Neymar se posicionou sobre o racismo. É uma ótima notícia

Neymar e seu filho Davi Lucca - Reprodução/Instagram
Neymar e seu filho Davi Lucca Imagem: Reprodução/Instagram
Menon

Meu nome é Luis Augusto Símon e ganhei o apelido de Menon, ainda no antigo ginásio, em Aguaí. Sou engenheiro que nunca buscou o diploma e jornalista tardio. Também sou a prova viva que futebol não se aprende na escola, pois joguei diariamente, dos cinco aos 15 anos e nunca fui o penúltimo a ser escolhido no par ou ímpar. Aqui, no UOL, vou dar seguimento a uma carreira que se iniciou em 1988. com passagens pelo Trivela, Agora, Jornal da Tarde entre outros.

02/06/2020 16h22

Neymar se posicionou sobre a morte de George Floyd, segurança negro assassinado por um assassino branco que usava uniforme policial.

Vidas negras importam foi a hashtag usada por Neymar em um fundo preto.

Para os críticos de postura política alheia, pode ser pouco. Neymar poderia ter escrito um texto. Poderia se posicionar mais fortemente, como LeBron James, poderia ter se ajoelhado em campo ou no apartamento... Poderia. E também poderia ter se calado, como até então.

O importante é que Neymar tomou posição. Evoluiu. As placas tectônicas se mexeram e 139 milhões de seguidores agora sabem que Neymar se importa com o que acontece no mundo.

Talvez ele nunca vá além. Talvez tenha chegado ao seu limite. Talvez tenha ido além dele. Não interessa. Seja como for, ele avançou.

E merece todo aplauso.

As críticas devem ficar com os racistas, não com aqueles que lutam contra essa coisa nojenta e que agora receberam o reforço de Neymar.

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do escrito anteriormente, Neymar usou a hashtag "vidas negras importam".

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Menon