PUBLICIDADE
Topo

Mauro Cezar Pereira

Fla "fecha" com Ceni para sufocar Botafogo; Barroca dá treino à distância

Rogério Ceni (de azul, ao centro), técnico do Flamengo, conversa com elenco durante treino no CT Ninho do Urubu - Alexandre Vidal / Flamengo
Rogério Ceni (de azul, ao centro), técnico do Flamengo, conversa com elenco durante treino no CT Ninho do Urubu Imagem: Alexandre Vidal / Flamengo
Mauro Cezar Pereira

Mauro Cezar Pereira nasceu em Niterói (RJ) e é jornalista desde 1983, com passagens por vários veículos, como as Rádios Tupi e Sistema Globo. Escreveu em diários como O Globo, O Dia, Jornal dos Sports, Jornal do Brasil e Valor Econômico; além de Placar e Forbes, entre outras revistas. Na internet, foi editor da TV Terra (portal Terra), Portal AJato e do site do programa Auto Esporte, da TV Globo. Trabalhou nas áreas de economia e automóveis, entre outras, mas foi ao segmento de esportes que dedicou a maior parte da carreira. Lecionou em faculdades de Jornalismo e Rádio e TV. Colunista de O Estado de S. Paulo e da Gazeta do Povo, desde 2004 é comentarista dos canais ESPN.

03/12/2020 17h45

Os rumores de que os jogadores do Flamengo ficaram insatisfeitos com escolhas de Rogério Ceni para o jogo contra o Racing, que decretou a eliminação do time na Libertadores, incomodaram no departamento de futebol do clube. Cientes dos próprios erros, os atletas se aproximaram mais do treinador, que prepara o time para o duelo de sábado, às 17 horas, diante do Botafogo.

Os jogadores "compraram" o trabalho de Ceni por apresentar ideias semelhantes às de Jorge Jesus e tentar resgatar o trabalho do português, ao contrário do que ocorrera na passagem de Domènec Torrent. Contudo, existe uma insatisfação por parte dos atletas com as tentativas de interferêcia alguns dirigentes junto ao futebol do clube, como o blog registrou na quinta-feira.

Ceni vem treinando a equipe para que recupere a postura perdida com a saída do português: pressão no campo do adversário para retomar a posse de bola, sempre que perdê-la. A ideia é atuar dentro do campo botafoguense na partida marcada para o Estádio Nilton Santos, o Engenhão. A defesa, por sua vez, vem treinando separadamente com atividades específicas para corrigir os problemas que já causaram enormes prejuízos.

Outra preocupação, óbvia até, envolve as finalizações. Rogério atua para que as grandes chances desperdiçadas nos jogos recentes passem a ser convertidas. E deverá contar com Pedro desde o início no clássico. Na partida de terça-feira, ele não foi titular porque fisicamente não tinha condições de atuar por 90 minutos. O técnico sabia que se o escalasse de início, teria que substituí-lo a qualquer momento e o deixou como arma, no banco.

Também pesou na escolha de Ceni a situação de Rodrigo Caio. Sem Thuller e Natan, suspensos, ele tinha que contar com o titular absoluto logo de saída para evitar a dupla Gustavo Henrique/Leo Pereira, que seria uma zaga marcada por falhas recentes e consequente insegurança. Outro nome disponível, Noga, tem somente 18 anos. Assim, guardou Pedro e colocou de saída o único zagueiro titular absoluto no atual elenco.

A expulsão do próprio Rodrigo Caio e o gol de Sigali, em seguida, complicou os planos de Rogério, e Pedro entrou em campo com um cenário complexo. O Flamengo tinha um homem a menos e o Racing se fechou ainda mais para defender a vantagem. Internamente, os atletas manifestaram apoio ao treinador e satisfação pelos métodos de treinamento, mais próximos da rotina adquirida nos melhores momentos do time.

No Botafogo, Eduardo Barroca fará sua reestreia à distância. Infectado pela Covid-19, ele vem trabalhando de maneira remota. Por videoconferência, fez uma apresentação aos jogadores sobre como se comporta o Flamengo e, todos os dias, dá treinos ao elenco dessa maneira. O técnico fará a preleção e conversará com os atletas no intervalo do jogo. Durante a semana, acompanhou o treino ao vivo e depois passou feedbacks individuais e coletivos.

O técnico que volta ao Botafogo espera colocar o time em postura diferente. Ele retornou ao clube uma semana antes da partida. Em campo, seu auxiliar, Felipe Lucena, vem liderando as atividade. Barroca foi anunciado de volta ao Botafogo sábado passado, exatamente sete dias antes do duelo com os rubro-negros. Ele começou 2020 no Coritiba e treinou o Vitória, na Série B, até aceitar o convite para retornar ao clube da estrela solitária.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL