PUBLICIDADE
Topo

Fla bate o Flu, ganha o bi Estadual, cumpre "obrigação" e só pensa em Jesus

O técnico Jorge Jesus é erguido pelos jogadores do Flamengo depois da conquista do Bi Carioca 2019/2020 - Thiago Ribeiro/AGIF
O técnico Jorge Jesus é erguido pelos jogadores do Flamengo depois da conquista do Bi Carioca 2019/2020 Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF
Mauro Cezar Pereira

Mauro Cezar Pereira nasceu em Niterói (RJ) e é jornalista desde 1983, com passagens por vários veículos, como as Rádios Tupi e Sistema Globo. Escreveu em diários como O Globo, O Dia, Jornal dos Sports, Jornal do Brasil e Valor Econômico; além de Placar e Forbes, entre outras revistas. Na internet, foi editor da TV Terra (portal Terra), Portal AJato e do site do programa Auto Esporte, da TV Globo. Trabalhou nas áreas de economia e automóveis, entre outras, mas foi ao segmento de esportes que dedicou a maior parte da carreira. Lecionou em faculdades de Jornalismo e Rádio e TV. Colunista de O Estado de S. Paulo e da Gazeta do Povo, desde 2004 é comentarista dos canais ESPN.

16/07/2020 01h46

Depois de, domingo, permitir 14 finalizações só no segundo tempo, o Flamengo tinha como primeira preocupação na final do Campeonato Estadual ser mais organizado defensivamente. Assim, neutralizou a maior parte das tentativas dos tricolores, que deram apenas um chute no alvo e somaram apenas quatro arremates na derrota por 1 a 0 (números do SofaScore).

Os dois jogos anteriores deram a muitos uma sensação de que a diferença entre os times não era tão grande. Um velho equívoco, analisar o conteúdo futebolístico que uma equipe pode apresentar por um par de partidas. Como se Jorge Jesus não tivesse comandado seus atletas com sucesso tantas vezes. Desta vez, ele armou o time para não correr os mesmos riscos.

Independentemente do que acontecesse na noite de quarta-feira no Maracanã, o elenco do Fluminense não seria visto como superior ao do rival depois de mais 90 minutos de futebol. O que estava em jogo era um título, não a avaliação real e de mercado de jogadores de diferentes níveis. Os tricolores saíram derrotados, mas fortalecidos para a temporada que virá.

Contudo, era evidente que os rubro-negros eram favoritos, o que no linguajar da bola não é sinônimo de vencedor. Mas tal rótulo era preto e vermelho não apenas devido à maior qualidade de seu time, mais forte e entrosado, mas também pela vitória do domingo, que dava vantagem do empate.

Agora, cabe aos rubro-negros definir se Jorge Jesus aceitará a proposta do Benfica ou permanecerá no Flamengo. A resposta somente ele tem. Caso resolva voltar a Portugal, basta que pague a multa rescisória. Se realmente o treinador disser adeus, o desafio de encontrar um profissional à altura talvez seja mais difícil do que todos os jogos que o time disputou no ano.

follow us on Twitter follow me on youtube follow me on facebook follow us on instagram follow me on google plus

Mauro Cezar Pereira