PUBLICIDADE
Topo

"Complicado", São Paulo estuda empréstimo. Sobre Cavani, "não há recursos"

Cavani e Daniel Alves comemoram gol do PSG diante do Strasbourg pela Copa da França 2018/2019 - Charles Platiau/Reuters
Cavani e Daniel Alves comemoram gol do PSG diante do Strasbourg pela Copa da França 2018/2019 Imagem: Charles Platiau/Reuters
Mauro Cezar Pereira

Mauro Cezar Pereira nasceu em Niterói (RJ) e é jornalista desde 1983, com passagens por vários veículos, como as Rádios Tupi e Sistema Globo. Escreveu em diários como O Globo, O Dia, Jornal dos Sports, Jornal do Brasil e Valor Econômico; além de Placar e Forbes, entre outras revistas. Na internet, foi editor da TV Terra (portal Terra), Portal AJato e do site do programa Auto Esporte, da TV Globo. Trabalhou nas áreas de economia e automóveis, entre outras, mas foi ao segmento de esportes que dedicou a maior parte da carreira. Lecionou em faculdades de Jornalismo e Rádio e TV. Colunista de O Estado de S. Paulo e da Gazeta do Povo, desde 2004 é comentarista dos canais ESPN.

20/04/2020 04h00

A situação financeira do São Paulo é "bastante complicada", admite Elias Albarello, Diretor Financeiro do clube, que segue negociando contratos de prestação de serviços e compra de produtos. O clube busca, ainda, antecipação de algumas receitas e empréstimo bancário.

Em meio à pandemia de coronavírus, os tricolores procuram soluções. "Complementação de recursos no mercado financeiro, dilatando prazos de pagamento da folha. Algumas medidas emergenciais", explica ao blog o dirigente são-paulino.

"Uma outra ação que estamos fazendo é renegociando parcelas de empréstimos, vencíveis em abril e maio, estendendo-as para o segundo semestre. E sempre finalizando nesta gestão", assegura Elias Albarello.

O clube poderá ir ao mercado para executar operação financeira de antecipação de recebível. Assim estaria dando uma garantia e, consequentemente, conseguiria taxa de juros menor. É uma maneira de ter liquidez em meio à queda de receitas provocada pela crise do momento atual.

Albarello é enfático com relação à comentada tentativa de contar com o uruguaio Edinson Cavani: não há recursos. Em entrevista recente à Rádio Transamérica, ele disse que seria uma irresponsabilidade tal contratação para pagamento futuro. "Não podemos mais trabalhar dessa forma".

Em 2019 o São Paulo fez um investimento elevado ao repatriar Daniel Alves. Ele e os demais jogadores não sofreram exatamente redução salarial. "Vamos pagar 50% mensalmente e o restante dividido em alguns meses após o retorno dos jogos e receitas", explica.

Mauro Cezar Pereira