PUBLICIDADE
Topo

Marcel Rizzo

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Corinthians diminui número de atletas sob contrato; rivais incham quadros

Renato Augusto comemora gol pelo Corinthians contra o Grêmio - Rodrigo Coca/Agência Corinthians
Renato Augusto comemora gol pelo Corinthians contra o Grêmio Imagem: Rodrigo Coca/Agência Corinthians
Marcel Rizzo

Marcel Rizzo - Formado em jornalismo em 2000 pela PUC Campinas, passou pelas redações do Lance!, Globoesporte.com, Jornal da Tarde, Portal iG e Folha de S. Paulo, no qual editou a coluna Painel FC. Cobriu Copas do Mundo, Olimpíada e dezenas de outros eventos esportivos.

Colunista do UOL

08/12/2021 11h00

Clube grande paulista que manteve mais jogadores sob contrato profissional nos últimos anos, o Corinthians enxugou a lista e vai terminar 2021 com menos de 100 atletas pela primeira vez desde 2017, pelo menos, quando a coluna começou a fazer esse tipo de levantamento em dados oficiais.

Em contrapartida, Palmeiras e Santos passaram a marca de 100 jogadores com acordos registrados neste final de temporada e o São Paulo, que mantinha uma média de 70 atletas sob contrato profissional, passou dos 90.

Em 4 de janeiro de 2021, quando Duílio Monteiro Alves assumiu como presidente, o Corinthians tinha 116 jogadores com contrato válido. Hoje são 96. O Palmeiras tinha 95, hoje são 102, o Santos subiu de 94 para 113 e o São Paulo de 69 para 92.

Em 15 de março, o Corinthians mantinha 109 atletas, o Santos 93, o Palmeiras 90 e o São Paulo 79. Em maio, o Palmeiras já havia ultrapassado o Corinthians, 105 a 101, o Santos tinha 87 e o São Paulo 81, sempre segundo dados obtidos em registros oficiais.

Em julho de 2019, no auge de seu time B sub-23, que disputava amistosos e a Copa Paulista, torneio da Federação Paulista de Futebol que movimenta clubes menores no segundo semestre, o Corinthians teve 126 jogadores sob contrato profissional, contra 93 do Palmeiras, 91 do Santos e 79 do São Paulo.

Os elencos dos times principais, normalmente, têm entre 30 e 35 jogadores, mas os clubes optam por mais atletas sob contrato por alguns motivos. O principal é já preparar um acordo profissional com talentos da base, documentos que podem ser firmados após os 16 anos. Também é uma maneira de deixar jogadores amarrados e, caso não sejam utilizados naquele ano, emprestá-los, o que pode ser uma maneira de fazer dinheiro.

Com a covid-19, e a possibilidade de perder algum jogador por contaminação, alguns elencos foram inchados, principalmente para deixar inscritos entre 40 e 50 atletas por competição, já que tanto CBF quanto a Conmebol aumentaram o limite máximo das listas de seus torneios.