PUBLICIDADE
Topo

Marcel Rizzo

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Copa América pode virar eliminatória para a Copa bienal em novo calendário

Brasil e Argentina disputaram a final da Copa América 2021 - Reprodução/Flickr CBF
Brasil e Argentina disputaram a final da Copa América 2021 Imagem: Reprodução/Flickr CBF
Marcel Rizzo

Marcel Rizzo - Formado em jornalismo em 2000 pela PUC Campinas, passou pelas redações do Lance!, Globoesporte.com, Jornal da Tarde, Portal iG e Folha de S. Paulo, no qual editou a coluna Painel FC. Cobriu Copas do Mundo, Olimpíada e dezenas de outros eventos esportivos.

Colunista do UOL

26/10/2021 04h00

No plano da Fifa de realizar a Copa do Mundo a cada dois anos, os torneios continentais como a Euro e a Copa América também seriam bienais, nos anos ímpares, e no caso da competição sul-americana serviria como eliminatória para o Mundial.

Ao pensar em transformar a Copa América em qualificatório, o que não ocorre hoje, a Fifa mira em Brasil e Argentina, países da elite do futebol que a entidade tenta convencer a apoiar o projeto de mudança no calendário.

Para a CBF e a AFA é importante que o calendário preveja espaço para amistosos, já que as duas confederações vendem por milhões de dólares para empresas os jogos não oficiais de suas seleções.

Na adequação de calendário que a Fifa propõe, as janelas para jogos de seleções não seriam mais realizadas em cinco meses por ano (março, junho, setembro, outubro e novembro), nove dias em cada, mas em no máximo dois meses, provavelmente em março e outubro, com mais dias seguidos, entre 15 e 20. Junho e julho seriam os meses da Copa e dos continentais.

Se Brasil e Argentina jogarem as Copas no meio do ano, e ainda precisarem disputar eliminatórias em março e outubro, não sobrariam datas para disputar amistosos e faturar alto. Mas se a Copa América servir também como qualificatório para o Mundial, março e outubro estarão livres para as federações ganharem dinheiro com seus times e jogadores milionários.

Principal opositora do plano de Copa Bienal, a Uefa (União Europeia de Futebol) corteja Brasil e Argentina porque sabe que a Fifa busca esse apoio. Como a coluna mostrou na sexta-feira, a união europeia sugeriu à Conmebol, que está alinhada contra a ideia de Copa bienal, incluir seleções sul-americanas na Liga das Nações, torneio criado em 2018 só com equipes da Europa. Desta maneira, Brasil e Argentina poderiam voltar a enfrentar europeus nas datas-Fifa, como pedem seus treinadores. A sugestão agradou.

A partir da Copa do Mundo 2026, que será nos EUA, México e Canadá e terá pela primeira vez 48 participantes, a Conmebol terá seis vagas diretas e ainda uma de repescagem. Atualmente são quatro diretas e uma quinta de repescagem contra rival de outro continente.