PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Marcel Rizzo


Com Dudu a caminho do Qatar, ex-esposa pede proteção a Conselho da ONU

Mallu Ohanna, ex-esposa de Dudu, é atendida em hospital após suposta agressão do jogador - Arquivo pessoal
Mallu Ohanna, ex-esposa de Dudu, é atendida em hospital após suposta agressão do jogador Imagem: Arquivo pessoal
Marcel Rizzo

Marcel Rizzo - Formado em jornalismo em 2000 pela PUC Campinas, passou pelas redações do Lance!, Globoesporte.com, Jornal da Tarde, Portal iG e Folha de S. Paulo, no qual editou a coluna Painel FC. Cobriu Copas do Mundo, Olimpíada e dezenas de outros eventos esportivos.

Colunista do UOL

09/07/2020 14h17

Classificação e Jogos

Com Pedro Ivo Almeida, do UOL, em São Paulo

A defesa de Mallu Ohanna Neves Rodrigues, ex-mulher do atacante Dudu, pediu proteção ao Conselho de Direitos Humanos da ONU (Organização das Nações Unidas). Ela acusa o palmeirense de ter sido agredida no dia 22 de junho, o que ele nega. O caso é investigado pela polícia, que já ouviu testemunhas e prepara o relatório do inquérito.

O movimento tem dois objetivos principais: 1) utilizar a Convenção Sobre a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação contra a Mulher, de 1979 e da qual o Brasil é signatário, para que haja, se necessário, fiscalização das ações das autoridades brasileiras com relação ao caso e 2) dar instrumentos para o governo do Qatar pedir esclarecimentos sobre a situação de Dudu, uma vez que o jogador foi negociado com o Al-Duhail e deixará o Brasil nas próximas semanas, com a investigação em andamento.

"A Lei Maria da Penha [que coíbe atos de violência contra a mulher] é oriunda dessa convenção da ONU. Sabemos que o Dudu é uma pessoa poderosa, o jogador com o maior salário do Brasil, e a ONU pode ajudar na fiscalização da investigação. Ela é a parte mais frágil dessa situação, em todos os sentidos, mas ela sempre terá a proteção de Deus e lutarei pelos direitos dela até o fim", disse Liliane Sobreira, advogada de Mallu Ohanna. O pedido foi feito via escritório da ONU em São Paulo.

Dudu foi negociado pelo Palmeiras ao Al-Duhail nesta quinta-feira (9), por empréstimo de um ano — valor de 7 milhões de euros (R$ 42 milhões). O empréstimo, e não a venda, segundo o blog apurou é motivado também pelos problemas particulares do atleta. Caso ele se torne réu será chamado ao Brasil para prestar esclarecimentos, por exemplo.

Dudu diz que nunca agrediu a mulher e sua defesa divulgou vídeos do dia registrado no Boletim de Ocorrência. Na imagem aparece Ohanna tentando tirar o celular da mão do atleta, no estacionamento de um edifício e depois na frente desse imóvel, e ela indo ao banco traseiro de um carro, após Dudu entrar. O jogador diz que apanhou, enquanto Ohanna diz que foi agredida nesse e em outro momento — as imagens não são claras.

A defesa de Ohanna diz que a discussão nesse dia ocorreu porque ela descobriu que Dudu falsificou a assinatura em um dos documentos do processo de divórcio do casal, em que ela abriria mão de bens na separação. Dudu nega essa falsificação. Ohanna também acusou o ex-jogador de outras agressões, como no Carnaval deste ano — o que o jogador também refuta.

"A violência contra a mulher é um atentado contra os direitos humanos, a ONU entende assim. Essa agressão [de 22 de junho] não foi a única, houve outras sofridas por Mallu, além da agressão psicológica. E entendemos que a defesa de Dudu quer que o caso se transforme em agressão mútua para que saia da esfera da Maria da Penha", disse Sobreira.

A defesa de Dudu refuta as acusações de agressão e também de falsificação: "Não comento processo por uma questão legal. O caso corre em segredo de Justiça e respeitarei isso. Mas é uma premissa básica. Toda escritura pública é lida, em voz alta inclusive, e assinada pelas partes", disse ao UOL Esporte o advogado de Dudu na esfera cível, Paulo Sigaud. "Seguiremos implacáveis para provar a verdade", finalizou.

Não comento processo por uma questão legal. O caso corre em segredo de Justiça e respeitarei isso. Mas é uma premissa básica. Toda escritura pública é lida, em voz alta inclusive, e assinada pelas partes", disse o advogado de Dudu na esfera cível, Paulo Sigaud. "Seguiremos implacáveis para provar a verdade", finalizou.... - Veja mais em https://www.uol.com.br/esporte/futebol/ultimas-noticias/2020/06/29/acusacao-em-processo-de-separacao-desgastou-dudu-e-acelerou-desejo-de-saida.htm?cmpid=copiaecola
Não comento processo por uma questão legal. O caso corre em segredo de Justiça e respeitarei isso. Mas é uma premissa básica. Toda escritura pública é lida, em voz alta inclusive, e assinada pelas partes", disse o advogado de Dudu na esfera cível, Paulo Sigaud. "Seguiremos implacáveis para provar a verdade", finalizou.... - Veja mais em https://www.uol.com.br/esporte/futebol/ultimas-noticias/2020/06/29/acusacao-em-processo-de-separacao-desgastou-dudu-e-acelerou-desejo-de-saida.htm?cmpid=copiaecolaNão comento processo por uma questão legal. O caso corre em segredo de Justiça e respeitarei isso. Mas é uma premissa básica. Toda escritura pública é lida, em voz alta inclusive, e assinada pelas partes", disse o advogado de Dudu na esfera cível, Paulo Sigaud. "Seguiremos implacáveis para provar a verdade", finalizou.... - Veja mais em https://www.uol.com.br/esporte/futebol/ultimas-noticias/2020/06/29/acusacao-em-processo-de-separacao-desgastou-dudu-e-acelerou-desejo-de-saida.htm?cmpid=copiaecola
Não comento processo por uma questão legal. O caso corre em segredo de Justiça e respeitarei isso. Mas é uma premissa básica. Toda escritura pública é lida, em voz alta inclusive, e assinada pelas partes", disse o advogado de Dudu na esfera cível, Paulo Sigaud. "Seguiremos implacáveis para provar a verdade", finalizou.... - Veja mais em https://www.uol.com.br/esporte/futebol/ultimas-noticias/2020/06/29/acusacao-em-processo-de-separacao-desgastou-dudu-e-acelerou-desejo-de-saida.htm?cmpid=copiaecol

Marcel Rizzo