PUBLICIDADE
Topo

Empréstimo protege time do Qatar de problemas pessoais de Dudu

Luxemburgo orienta Dudu durante duelo Tigre x Palmeiras, pela Libertadores - Juan Mabromata/AFP
Luxemburgo orienta Dudu durante duelo Tigre x Palmeiras, pela Libertadores Imagem: Juan Mabromata/AFP
Danilo Lavieri

Danilo Lavieri começou a carreira em 2008 e trabalha com futebol desde 2010. Já cobriu Copa, Olimpíada, escreveu a biografia do goleiro Marcos (Nunca Fui Santo) e ganhou prêmio de furo do ano da Aceesp em 2019.

Colunista do UOL

08/07/2020 04h00

A opção de contratar Dudu pelo empréstimo de um ano servirá como um escudo para o Al-Duhail, do Qatar. O time árabe poderá acompanhar de perto o desenrolar dos problemas particulares vividos pelo atacante antes de contratá-lo em definitivo.

Ele é acusado pela ex-mulher, Mallu Ohana, de agressão. Ela, inclusive, registrou boletim de ocorrência. O jogador nega todas as acusações, mas se vê sem clima para continuar no Brasil, apesar de ter o maior salário do Palmeiras e o status de craque do país. Não à toa, ele deixou claro para a diretoria e para comissão que gostaria de sair.

Quem participa da negociação sabe que esse é um fator levado em conta e que facilita o pagamento de 7 milhões de euros (quase R$ 42 milhões) para ter o camisa 7 palmeirense por apenas um ano. Ninguém toparia um negócio desse se não tivesse a clara intenção de exercer a cláusula de compra, estipulada em mais 6 milhões de euros ao término do empréstimo.

Apesar dessa vontade, caso o atleta veja os seus problemas piorarem, a equipe do Qatar tem como "se defender". O Al-Duhail ainda terá a chance de ver se Dudu se adaptará ao novo estilo de vida, completamente diferente do que tem no Brasil. Não são raros os casos de atletas que são seduzidos pelo dinheiro de times árabes e, depois, se arrependem.

O Palmeiras espera oficializar a saída de Dudu nesta quarta-feira, depois de uma série de reviravoltas. Na última terça, advogados dos dois times discutiam os detalhes finais do contrato.