PUBLICIDADE
Topo

Fifa fará estudo e regra com cinco substituições pode se tornar permanente

Lewandowski comemorando gol na partida entre Bayern de Munique x Eintracht Frankfurt após o retorno da Bundesliga - Andreas Gebert / Pool via Getty Images
Lewandowski comemorando gol na partida entre Bayern de Munique x Eintracht Frankfurt após o retorno da Bundesliga Imagem: Andreas Gebert / Pool via Getty Images
Marcel Rizzo

Marcel Rizzo - Formado em jornalismo em 2000 pela PUC Campinas, passou pelas redações do Lance!, Globoesporte.com, Jornal da Tarde, Portal iG e Folha de S. Paulo, no qual editou a coluna Painel FC. Cobriu Copas do Mundo, Olimpíada e dezenas de outros eventos esportivos.

Colunista do UOL

27/05/2020 04h00

A Fifa e a International Board (Ifab, o colegiado que define o regulamento do futebol) vão preparar um estudo com base nos campeonatos que utilizarem a regra temporária das cinco substituições. A ideia é avaliar o impacto sobre o ritmo do jogo e, se for confirmada melhoria, é possível que a regra se torne permanente.

A Bundesliga, a liga de futebol alemã, a primeira da elite a retornar ao futebol depois da paralisação por causa da pandemia do coronavírus, autorizou o uso das cinco substituições no restante da competição. Outros campeonatos, como o Espanhol, o Italiano e até o Brasileiro devem seguir os alemães.

A ideia da Ifab ao permitir a alteração na regra que limita em três as alterações é dar descanso aos jogadores, que devem enfrentar maratona de partidas com o calendário apertado do futebol após as paralisações. Há torneios que podem precisar fazer com que times joguem com 48 horas de diferença, o que no Brasil é proibido — a lei exige um descanso de 60 horas.

Especialistas da Ifab e da Fifa vão avaliar, por exemplo, se haverá com as cinco substituições aumento na média de gols ou diminuição no número de lesões, principalmente as musculares. A princípio as ligas estão autorizadas a usar a regra durante as temporadas 2019/2020 e 2020/2021, conforme o calendário europeu — e pode ser estendido ao fim de 2021 no Brasil.

Se for avaliado que a regra melhora o jogo, ela poderia se tornar permanente a partir de 2022. Alguns cartolas defendem há bastante tempo que se permita mais alterações, principalmente porque hoje os times podem ficar com mais de sete jogadores como suplentes.

A regra temporária

Para evitar que o jogo seja interrompido muitas vezes, cada equipe terá apenas três oportunidades para fazer essas cinco substituições. Mas as alterações também podem ser feitas no intervalo das partidas.

A Fifa argumenta que a decisão foi tomada porque "as partidas podem ser disputadas em um período condensado em diferentes condições climáticas, as quais podem ter impactos no bem-estar do jogador". A decisão de aplicar esta regra temporária permanecerá a critério de cada organizador individual da competição, enquanto a IFAB e a Fifa determinarão posteriormente se ela precisará ser estendida ainda mais.

As substituições não utilizadas serão carregadas para a prorrogação, em torneios que têm jogos eliminatórios. Nos quais as regras da competição permitirem uma quarta troca no tempo extra, as equipes terão uma oportunidade de outra adicional. Essas alterações podem acontecer antes ou no intervalo da prorrogação.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.