PUBLICIDADE
Topo

Futebol

"Bater" mais e menos atacantes podem ajudar Barça em missão impossível

Messi pode render mais contra o Bayern com um meia a mais para servi-lo - AFP PHOTO / PIERRE-PHILIPPE MARCOU
Messi pode render mais contra o Bayern com um meia a mais para servi-lo Imagem: AFP PHOTO / PIERRE-PHILIPPE MARCOU

Do UOL, em São Paulo

01/05/2013 06h00

A “missão impossível” que o Barcelona tem ao ter que vencer o Bayern de Munique por cinco gols de diferença ou por 4 a 0 para levar a partida para a prorrogação e assim avançar à final da Liga dos Campeões pode ter como solução algo que foge às tradições refinadas de seu futebol. O jogo será realizado a partir das 15h45 (com acompanhamento lance a lance e comentários do Placar UOL Esporte), em Barcelona.

Diante de um time veloz e com tamanha intensidade, os números indicam que um Barcelona mais “cascudo” e faltoso e com menos atacantes pode ser mais eficiente contra a equipe alemã, que deitou e rolou no primeiro jogo.


No jogo de ida, vencido por 4 a 0 pelo Bayern, o Barcelona manteve sua tradicional posse de bola e inúmeras trocas de passes. Teve 63% de bola, contra apenas 37% do rival. Trocou muitos passes, como sempre, mas finalizou pouco.

Sua média no torneio é de 14,6 arremates por jogo, mas na fatídica partida deu apenas quatro. Messi, seu principal craque, chutou apenas uma vez. E o que pode ter atrapalhado isso foi o esquema com três atacantes, que não funcionou. Da formação que iniciou o jogo, o técnico Tito Villanova colocou Alexis e Pedro junto do argentino. E os dois saíram sem conseguir concluir.

FABREGAS PODE SER OPÇÃO PARA 4-4-2

  • Meia Cesc Fábregas tem média de mais de uma finalização por jogo na Liga; mais do que os três atacantes (Messi, Alexis e Pedro) deram juntos no jogo contra o Bayern

O esquema com três atacantes também não pareceu o mais propício para duelar com o time alemão pela falta de um homem a mais no meio-campo para ajudar a marcar os rápidos meias e atacantes do Bayern e também para algo que o Barcelona também não gosta de fazer, mas parece ser preciso: faltas.

A equipe de Messi é a apenas a 20ª que mais comete infrações na Liga dos Campeões, com média de oito por jogo. Contra o time bávaro, fez um pouco mais, dez, mas não adiantou. Parar a velocidade do Bayern parece ter como principal chave um time mais cascudo.

Isso porque em seu único revés torneio, diante do Arsenal, em derrota por 2 a 0 em casa, o Bayern penou com quem fez faltas. O time alemão é o time que mais sofre faltas por jogo na Liga, com média de 14,6 por partida.

Naquele jogo, o Arsenal abusou das infrações: foram 25 na partida, número muito maior do que o time alemão é acostumado a sofrer e da média do time mais faltoso do torneio (o Galatasaray, time que mais bateu, fez 15,5 por partida.) E, no Bayern 0 x 2 Arsenal, o time inglês atuou com uma formação de quatro meio-campistas e apenas dois atacantes. Fez 15 faltas a mais do que o Barcelona fez contra o Bayern.

MARTINEZ É O "REI DAS FALTAS" DO BAYERN

  • Espanhol Javi Martinez solitário em disputa com jogadores do Bayern; volante é o mais faltoso da Liga

Um meio-campista a mais pode fortalecer a marcação para o Barcelona não levar gols e melhorar a eficiência de passes para Lionel Messi e o outro atacante do time. Dentro do elenco azul grená, o jogador que mais se adequa a essa função é Cesc Fábregas, quase que o 12º titular do time.

Até porque sua presença é significativa no número de arremates. Já finalizou nove vezes em sete jogos, média de 1,2 por partida (Pedro, Messi e Alexis, juntos, contra o Bayern, só chutaram uma vez).

Recentemente, o Barça carrega um histórico de goleadas contra rivais alemães no Camp Nou pela competição continental. Em 2011/2012, o ápice, com o massacre sobre o Bayer Leverkusen, por 7 a 1. Além disso, em 2009/2010, o time goleou o Stuttgart por 4 a 0. Em 2008/2009, a vítima foi o próprio Bayern de Munique, no jogo de ida das quartas de final, justamente por 4 a 0.

"Temos chances, embora sejam remotas, de nos classificarmos para a final da 'Champions'. Sei que parece difícil acreditar, mas amanhã é um dia para sermos crianças, perdermos o bom senso e voltarmos a ter a esperança de brigar até o final", disse o zagueiro Gérard Piqué, em entrevista coletiva.

O Bayern é o segundo time mais faltoso a Liga, com média de 14 por jogo. No primeiro duelo contra os espanhóis, aumentou esse número para 16. Nessa missão, quem se destaca é o espanhol Javi Martinez, que fez 23 faltas no torneio e é o líder no quesito.

A equipe alemã chega com a confiança de ter aberto uma vantagem confortável, mas consciente de que qualquer excesso pode ser fatal diante de um adversário tão poderoso. "Se há uma equipe capaz de virar um 4 a 0 é o Barcelona", disse o holandês Arjen Robben às vésperas do jogo.

Dessa forma, o técnico Jupp Heynckes já garantiu, em entrevista coletiva nesta terça-feira, que o time bávaro não mudará de estilo. "Não queremos mudar. Queremos jogar no ataque. Não somos uma equipe defensiva e sim, temos uma boa defesa", explicou o alemão.

BARCELONA X BAYERN

Barcelona: Valdés; Daniel Alves, Piqué, Bartra e Adriano; Song, Xavi e Iniesta; Alexis (Fabregas), Messi e Tello (Villa). Técnico: Tito Vilanova.

Bayern de Munique: Neuer; Lahm, Boateng, Dante e Alaba; Javi Martínez, Schweinsteiger, Robben, Müller e Ribery; Mandzukic. Técnico: Jupp Heynckes.

Árbitro: Damir Skomina (Eslovênia), auxiliado pelos compatriotas Matej Zunic e Bojan Ul.
Estádio: Camp Nou, em Barcelona (Espanha).  
Horário: 15h30 (horário de Brasília, com placar UOL Esporte)

Futebol