PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Liverpool tropeça no West Ham e pode perder a liderança para o City na 4ª

Salah não conseguiu aparecer, e o Liverpool vê a liderança ameaçada - David Klein/Reuters
Salah não conseguiu aparecer, e o Liverpool vê a liderança ameaçada Imagem: David Klein/Reuters

Do UOL, em São Paulo (SP)

04/02/2019 19h50

O Liverpool empatou pela segunda vez consecutiva e agora tem a liderança ameaçada no Campeonato Inglês. Na noite desta segunda-feira (4), a equipe comandada pelo técnico Jurgen Klopp ficou no empate por 1 a 1 contra o West Ham, no estádio Olímpico de Londres, e agora pode perder a liderança da competição já na quarta-feira, em caso de vitória do Manchester City sobre o Everton.

O novo tropeço em menos de uma semana deixa o Liverpool com 62 pontos, somente três a mais do que o adversário comandado por Pep Guardiola. Basta uma vitória sobre justamente o maior rival local dos Reds para o time de Gabriel Jesus, Fernandinho e Ederson assumir a ponta, já que possui melhor saldo de gols - primeiro critério de desempate adotado na Inglaterra.

Enquanto o Liverpool enxerga o Guardiola e companhia cada vez mais próximos no retrovisor, o West Ham conquistou um importante ponto para se afastar de vez de qualquer chance de rebaixamento. O clube londrino chegou aos 32 e abriu 10 em relação ao Cardiff City, primeiro clube dentro da zona da degola.

Agora com a ponta da tabela ameaçada, o Liverpool retorna à ação já com a possibilidade de entrar em campo como vice-líder. O tradicional clube vermelho encara no sábado, a partir das 13 (de Brasília), o Bournemouth. O West Ham, que contou com boa atuação de Felipe Anderson, joga contra o Crystal Palace fora de casa, na mesma data e horário.

Quem foi bem: Felipe Anderson 

Felipe Anderson West Ham - David Klein/Reuters - David Klein/Reuters
Felipe Anderson deu trabalho para a defesa do Liverpool durante os 90min
Imagem: David Klein/Reuters

Partidas grandes servem para ratificar a boa fase, e Felipe Anderson viveu uma noite deste nível nesta segunda-feira. Diante do líder do campeonato, o meia brasileiro comandou a criação do West Ham e teve participação fundamental no resultado: saiu dos pés do camisa 8 a assistência para Antonio anotar o primeiro gol dos donos da casa.

Quem foi mal: Roberto Firmino

Se o brasileiro do West Ham viveu grande noite, Roberto Firmino teve atuação discreta na partida desta segunda-feira. Especialmente no segundo tempo, o camisa 9 errou muitos passes e atrasou diversos ataques dos visitantes. O jogo ruim fez Jurgen Klopp, inclusive, abdicar do atacante na parte final do jogo - o belga Origi substituiu o atleta da seleção brasileira.

Liverpool é letal no início

Mané Robertson Liverpool - David Klein/Reuters - David Klein/Reuters
Robertson e Mané comemoram o primeiro gol do Liverpool diante do West Ham
Imagem: David Klein/Reuters

Mesmo carregando o peso de liderar a Premier League, o Liverpool se viu pressionado desde que a bola começou a rolar no Estádio Olímpico de Londres. A defesa foi bem exigida, principalmente o goleiro Alisson. Do outro lado do campo, bastou uma chance para os visitantes. Aos 21min, Sadio Mané recebeu dentro da área, girou sobre a marcação e finalizou com precisão para abrir o placar.

Bola parada muda o jogo

Alisson Liverpool - David Klein/Reuters - David Klein/Reuters
Brasileiro Alisson só observa o chute de Antonio entrar no gol do Liverpool
Imagem: David Klein/Reuters

O gol do Liverpool, ao invés de abater o West Ham, serviu para crescer ainda mais o volume de jogo apresentado pelos donos da casa. A pressão surtiu efeito somente após um erro da equipe de Jurgen Klopp na marcação de bola parada. Keita deixou Antonio passar livre. Felipe Anderson acionou o companheiro de time, que finalizou firme, sem chance de reação para Alisson.

Salah entra no jogo, e Liverpool cresce

O caminho para crescer e assumir o controle da partida em Londres passava pelos pés de Mohamed Salah. Apagado no primeiro tempo, o egípcio foi mais acionado na parte final e buscou mais as finalizações. Foram pelo menos duas boas jogadas do camisa 11 que terminaram nas mãos do goleiro Fabianski. Não foi o suficiente para evitar novo tropeço e deixar o Manchester City mais próximo na briga pelo troféu.

Esporte