PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Flu suporta pressão, vence Cuenca e põe um pé nas quartas da Sul-Americana

Everaldo fez o gol que abriu o placar em Quito - AP Photo/Dolores Ochoa
Everaldo fez o gol que abriu o placar em Quito Imagem: AP Photo/Dolores Ochoa

Do UOL, no Rio de Janeiro

20/09/2018 21h22

Na altitude de 2.850 metros de Quito, o Fluminense encarou o Deportivo Cuenca e deixou muito bem encaminhada sua vaga às quartas de final da Copa Sul-Americana. Com gols de Everaldo e Luciano, os cariocas venceram por 2 a 0 e levaram para casa ótima vantagem.

Apesar da vitória, o time passou sufoco no Casablanca, especialmente na etapa final. Não fosse pelo goleiro Júlio César, o resultado teria sido outro.

Os tricolores dão uma pausa na competição continental e voltam suas atenções para o Campeonato Brasileiro. Na próxima segunda, a equipe visita a Chapecoense, às 20h, na Arena Condá. O jogo de volta ante os equatorianos será no dia 4 de outubro.

Everaldo decisivo: o melhor do Flu

O atacante vem subindo no conceito do torcedor. Em Quito, ele marcou seu primeiro gol pelo clube, foi quem mais abriu espaços na zaga adversária e, em bomba de fora da área, carimbou o travessão rival. Exausto, foi substituído no segundo tempo.

O pior: Gum fora de tempo

O zagueiro esteve mal posicionado e deixou os atacantes do Cuenca em condições de marcar algumas vezes. Não fosse por um erro do auxiliar, o jogador teria marcado um gol a favor dos equatorianos, com uma participação ainda mais desastrosa.

Flu soberano

O primeiro tempo era morno até Everaldo desencantar e marcar seu primeiro gol com a camisa tricolor. Até os 22 minutos, as poucas e tímidas iniciativas ofensivas eram dos donos da casa, que foram pegos desarrumados quando Luciano encontrou um espaço vazio, serviu Everaldo, que bateu para vencer Heras. 

Com a vantagem na mão, o Flu tornou-se o senhor do jogo diante de um adversário que ficou assustado. Sem grandes recursos técnicos, o Cuenca foi presa fácil para o Flu, que fez os rivais correrem atrás da bola. Em ótimo arremate de fora, Sornoza quase ampliou ainda na primeira metade, mas foi parado pelo goleiro.

Cuenca vai para cima, mas Flu liquida

No prejuízo, o Cuenca voltou a mil quilômetros por hora na etapa final e, em menos de três minutos, o juiz invalidou um gol legal dos donos da casa, e Júlio César fez defesa dificílima em cabeceio.

Acuado, o Flu viu a bola passar perigosamente perto de seu gol diversas vezes e teve dificuldade para recolocar a partida em uma temperatura mais conveniente. Não fosse o goleiro em novo cabeceio de Pita,a sorte poderia ser outra

O time sentiu o desgaste físico, ficou a perigo em algumas ocasiões, mas soube se defender para segurar o placar. Em uma arrancada da defesa para o ataque, Ayrton Lucas cruzou para Luciano, que só empurrou para o gol vazio e decretou o triunfo.

À moda Abel

Marcelo Oliveira - Thiago Ribeiro/AGIF - Thiago Ribeiro/AGIF
Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF

Assim como em outras ocasiões, o técnico Marcelo Oliveira voltou a usar o esquema com três zagueiros, sistema que não é o preferido do treinador. Para privilegiar o bom poder ofensivo de Léo e Ayrton Lucas, o treinador montou um Flu mais parecido com o desenho que era adotado por Abel Braga. Ambos fizeram um jogo seguro e foram importantes para o resultado.

Em casa

Único equatoriano do elenco tricolor, o meia Junior Sornoza teve torcida especial em Quito. O jogador foi seguido de perto por familiares que vestiam camisas tricolores com o número 10 às costas.

Fim da escrita

O Casablanca não trazia boas recordações para a torcida tricolor. Campo da LDU, algoz do Flu nas finais da Libertadores de 2008 e da Copa Sul-Americana de 2009, o local ainda não tinha sido palco de uma vitória tricolor até esta noite. Fora estes dois jogos finais, o time somava um empate e uma outra derrota no estádio.

Camaradagem

Na véspera da partida, dirigentes do Fluminense e do Deportivo confraternizaram em Quito. O Flu foi representado no encontro por Marcelo Penha, assessor da presidência. Ele foi presenteado com um cachecol comemorativo do jogo e retribuiu o gesto ao distribuir camisas tricolores aos dirigentes equatorianos.

DEPORTIVO CUENCA X FLUMINENSE

Data e hora: 20/09/2018, às 19h30 (Brasília)
Local: Casa Blanca, em Quito (EQU)
Árbitro:  Alexis Herrera (VEN)
Auxiliares:  Carlos Lopez (VEN) e Jorge Urrego (VEN)
Cartões amarelos: Bedoya, Cuero (CUE); Júlio César, Matheus Alessandro (FLU)
Cartões vermelhos:
Gols: Everaldo, aos 22 minutos do primeiro tempo; Luciano, aos 38 minutos do segundo tempo.

DEPORTIVO CUENCA
Brian Heras; Bryan Carabalí, Anthony Bedoya, Luca Sosa e Carlos Cuero; Marco Mosquera, Jhon Rodríguez (De la Cruz), Edison Preciado, Juan Rojas (Bonfigli) e Emmanuel Martínez (Araujo); Jacson Pita.
Técnico: Richard Paéz
FLUMINENSE
Júlio César, Léo, Digão, Gum e Ibañez; Richard, Jadson, Sornoza (Marcos Jr.) e Ayrton Lucas; Everaldo (Matheus Alessandro) e Luciano (Caio).
Técnico: Marcelo Oliveira

Futebol